Publicidade

Correio Braziliense

Websérie A casa sonho é lançada nesta segunda-feira no YouTube

O projeto é a décima websérie do Projeto Cais


postado em 02/04/2018 16:20 / atualizado em 02/04/2018 16:21

(foto: Pedro Quevedo)
(foto: Pedro Quevedo)
 
A websérie A casa sonho, do Projeto Cais, estreou, nesta segunda-feira (2/4), no YouTube. A produção aborda temas como adoção, diversidade religiosa e racismo por meio da história dos personagens Daniel (Pedro Quevedo), um deficiente físico, e Ana Clara (Ana Cordeiro), uma menina com transtorno bipolar. Os dois se conhecem em uma clínica durante o tratamento que estão fazendo de “cura gay” e resolvem fugir juntos do local para viver na "Casa Sonho". 
 
"A casa da história é de propriedade da travesti Elba (Johnny Wallace) que aluga quartos exclusivamente para gays e propicia um ambiente de convivência comum no local que os aproxima e os torna uma família à medida que as histórias deles vão se cruzando e se aprofundando", diz Daniel Sena, um dos idealizadores do Cais, em nota oficial. 

A nova produção vai realizar uma campanha social de incentivo a doação de órgãos que envolverá um dos personagens principais da trama e que vai ser levada para o público participar fora da ficção. Cada episódio terá média de 45 minutos. A websérie foi gravada durante o mês de março na cidade do Rio de Janeiro e com cenas em Búzios. 

Sobre o Projeto Cais

O Projeto Cais é um canal de produção de webséries inteiramente composto, em seu conteúdo, por produções independentes com o objetivo de fomento cultural.
 
O projeto, que completa cinco anos em 2018, já produziu nove webséries. A primeira foi Positivos (2013), que teve a temática focada no preconceito sofrido por portadores do vírus HIV e as dificuldades deles no dia a dia, relacionamentos, família e amigos.

Positivos
teve um grande alcance logo na estreia e hoje já contabilizada mais de três milhões de acessos em seu primeiro episódio. Já o canal, ultrapassou a marca de 115 mil inscritos e tem mais de 30 milhões de visualizações. 
 
 
 

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade