Publicidade

Correio Braziliense

Atriz Rose McGowan revela as estruturas do assédio hollywoodiano em livro

Hollywood tem parte das imundícies expostas em Coragem, livro da atriz Rose McGowan


postado em 12/04/2018 06:33 / atualizado em 12/04/2018 18:19

Rose McGowan foi uma das primeiras a dar corpo a denúncias de assédio sexual(foto: Reprodução/ Internet)
Rose McGowan foi uma das primeiras a dar corpo a denúncias de assédio sexual (foto: Reprodução/ Internet)

 

“Hollywood é uma cidade suja que usa truques ainda mais sujos”, define a atriz Rose McGowan (destaque em filmes como Geração maldita, Pânico e Planeta Terror). Responsável por ajudar a desbaratar o obscuro mundo do assédio no cinema ao denunciar nomes como Harvey Weinstein, Rose faz, em autobiografia, um relato doloroso e forte do que passou nos bastidores da indústria.


Não por acaso, o livro, que chega ao Brasil pela Harper Collins, chama-se Coragem. Sem medo de expor crueldades e absurdos, Rose toca em temas delicados e polêmicos ao expor a covardia de diversos agentes da indústria do cinema americano e ao revelar como a cultura machista do assédio se perpetuou no meio.

Na capa do livro, Rose aparece raspando os cabelos, também como um símbolo de coragem, mas sobretudo de libertação. Os longos cabelos, escreve a atriz, eram uma exigência, mesmo que oculta, da indústria. “Me diziam que eu precisava ter cabelo comprido, caso contrário, os homens que contratavam em Hollywood não iam querer me comer, e se eles não quisessem me comer, não me contratariam”, conta.

O “conselho”, revela Rose, foi dado por uma mulher. “Tão cruel e tão, tão triste. Cruel porque recebi essa informação de uma mulher mais velha, que era porta-voz do que Hollywood quer”, explica a atriz. “Triste porque ela estava certa. Essa mensagem é passada para todas as mulheres e para todas as garotas.”

“Máfia”

“Hollywood vive um véu de mistério, mas eu nunca disse que guardaria segredos”, escreve Rose. Segundo ela, os chefões da indústria sempre acreditaram que ninguém contaria o que acontece nos bastidores por Hollywood ser uma espécie de “máfia”. “Se você não guarda os segredos deles: ‘Tsc, tsc, sabemos quem você é. É uma louca. Nunca vai chegar a lugar nenhum. Você, mocinha, vai ser punida’”, afirma.

Para Rose, no entanto, só “lançando luz sobre a escuridão” é possível mudar coisas. “Meu objetivo é expor Hollywood pelo que realmente é.” A coragem de contar sua história, para ela, influenciará outras pessoas a fazerem o mesmo. “Mais mulheres ganharão força e dirão: ‘Chega!’ E os homens serão apoiadores”, acredita.

Seria muito simples para Hollywood não ter tantos escândalos e denúncias relacionadas ao assédio, garante Rose. Bastaria que os homens da indústria fossem de fato corretos. “O que acham de não fazer coisas nojentas que tenham que manter em segredo? O que acham de tratar as mulheres que trabalham com vocês de modo justo e humano, assim como tratam os caras?”, propõe.

Coragem
Rose McGowan. Harper Collins. 269 páginas. R$ 34,90.

 

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade