Publicidade

Correio Braziliense

Projeto Arte da Palavra chega a Brasília e promove encontro literário

O evento acontece em diferentes regiões do país ao longo de 2018 e para a etapa brasiliense conta com a participação de Clarissa Macedo (BA) e Luiz Silva, conhecido como Cuti (SP)


postado em 14/04/2018 07:30 / atualizado em 13/04/2018 18:52

A escritora baiana Clarissa Macedo participa da etapa brasiliense do projeto Arte da palavra(foto: Arte da Palavra/Divulgação)
A escritora baiana Clarissa Macedo participa da etapa brasiliense do projeto Arte da palavra (foto: Arte da Palavra/Divulgação)

 
Criado com o objetivo de promover o intercâmbio entre autores de diferentes estilos e vertentes ao redor do país o projeto Arte da Palavra – Rede Sesc de Leituras reúne mais de setenta escritores em suas diversas formas de manifestação. A ideia é expandir o alcance da produção literária contemporânea, trabalhar com a formação de leitores e criar espaços de diálogo com o público. 

As novas tecnologias e os discursos periféricos entram em pauta e ocupam um importante lugar do debate, que busca mostrar novas formas de produção e envolvimento com a literatura.
 

Dois autores desembarcam em Brasília no próximo dia 17, representando a região Nordeste e Sudeste do país: Clarissa Macedo (BA) e Cuti (Luiz Silva) (SP), com mediação da escritora Cristiane Sobral (DF). A brasiliense lembra que os espaços de produção literária estão em crescimento, mas ainda existe uma prioridade história destinada aos grandes centros. 

“Neles também circulam os recursos que permitem a realização de eventos com maior visibilidade. As periferias têm realizado eventos, mas ainda residem na invisibilidade”, destaca. Essa descentralização literária é um dos motivos que levam o projeto a circular pelas mais diversas regiões do país.

Enquanto mediadora do debate, Cristiane pretende aproximar as obras do público, debater o estilo literário e a peculiaridade de cada autor, provocando ainda uma reflexão sobre a linguagem literária e seus modos de produção. Além disso, a poeta lembra que projetos de circulação de livros podem contribuir para o fomento à leitura e expansão da produção nacional. Na escrita contemporânea, a poeta destaca a subjetividade das obras e a presença de vozes dissonantes do ponto de vista hegemônico.

Clarissa Macedo, uma das participantes do encontro em Brasília, publicou pela primeira vez em uma coletânea em 2010 e, desde então, não parou mais. A autora acredita que há espaços para os escritores contemporâneos atualmente, mas ainda não são suficientes para criar uma rede de leitura eficaz. 
 
A poeta brasiliense Cristiane Sobral faz a mediação do debate(foto: Ricardo Pacheco/Divulgação)
A poeta brasiliense Cristiane Sobral faz a mediação do debate (foto: Ricardo Pacheco/Divulgação)
 

Por esse motivo, é importante pensar em mais projetos de circulação. Para ela, dois aspectos são muito importantes em iniciativas como essa: o trabalho de levar literatura para as escolas e a circulação de autores de diferentes regiões e gerações.

“O impacto sociocultural desse tipo de trabalho é muito benéfico tanto para quem produz literatura quanto para a sociedade de modo geral, que passa a conhecer formas diversas de entender o mundo através do texto literário”, destaca Clarissa. 

A autora lembra que o trabalho realizado de maneira eficaz com a literatura nas escolas é essencial para ampliar a rede de leitores no país. “Um conceito de educação que ultrapasse a técnica, dando realce às artes e humanidades e à construção do exercício de um pensamento livre e despido de preconceitos, é um primeiro passo. Podemos incentivar a literatura desde a mais tenra idade”, destaca.

A troca de experiências a partir do outro é outro ponto de destaque na criação do projeto. Vivenciar a produção de autores distintos, que produzem a partir de Estados, trajetórias e crenças diversas, colabora para a ampliação de olhares de quem lê e de quem escreve. 
 
O escritor Cuti completa o encontro literário na capital(foto: Arte da Palavra/Divulgação)
O escritor Cuti completa o encontro literário na capital (foto: Arte da Palavra/Divulgação)
 

Considerando as diversas formas de manifestações literárias, o projeto é composto pelos eixos: circuitos de autores e de oralidades, que promovem o encontro de escritores de diferentes locais do país; e o circuito de criação literária, que promove a formação de leitores e o aprimoramento da escrita. O espaço está aberto para dialogar. 
 
Serviço

Projeto Arte da Palavra – Rede Sesc de Leituras em Brasília, dia 17 de abril, às 19h30, no Teatro Sesc Sílvio Barbato (Setor Comercial Sul). A entrada é franca e a classificação indicativa é livre.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade