Publicidade

Correio Braziliense

Conheça bares e pubs da cidade que demonstram a diversidade da capital

Diferentes ritmos e estilos preenchem a noite de jovens e adultos na noite brasiliense


postado em 22/04/2018 07:31 / atualizado em 21/04/2018 17:07

(foto: Basic Bar/Divulgação)
(foto: Basic Bar/Divulgação)

 
Abrir um estabelecimento na capital federal não é tarefa fácil. Conhecida pela pluralidade de povos, a personalidade, os gostos e as exigências dos brasilienses variam e as preferências se misturam. A Lei do Silêncio também é, em muitos casos, uma barreira. Mesmo assim, é possível encontrar estabelecimentos na cidade que resistem e conquistam o público pela autenticidade. O Diversão & Arte apresenta cinco bares e pubs do Distrito Federal com propostas distintas, que vão desde um local para tomar um bom vinho, ao som de MPB e jazz, as batidas eletrônicas e locais intimistas que promovem bandas autorais da capital, ao pesado som do rock. Confira!


Toinha Brasil Show 
• Depois de se estabelecer em Samambaia, o bar da Toinha decidiu abranger a área de atuação. Para isso, lançou o espaço Toinha Brasil Show (SOF Sul Q. 9, lts. 5/9; 98616-5097). 
A proposta é valorizar bandas autorais de rock da cidade, fazer tributos aos famosos grupos de rock’n’roll e receber atrações nacionais e internacionais. Na última semana, por exemplo, o local foi o palco do show de Glenn Hughes, músico inglês que trabalhou com bandas como Deep Purple e Black Sabbath antes de investir na carreira solo. Aberto em 2009, em Samambaia, o espaço decolou e caiu nas graças do público que curte as fortes batidas da bateria e os riffs pesados das guitarras. Hoje, o Toinha já conta com sua segunda unidade, no Guará, um amplo espaço, com capacidade para 1.500 pessoas para shows grandes e uma área para 200 pessoas para apresentações mais intimistas. “A proposta da casa sempre foi valorizar os estilos de rock, desde o mais leve ao mais pesado. Inauguramos recentemente nossa segunda unidade, com uma proposta de proporcionar aos brasilienses shows de qualidade, de artistas de expressão e conhecidos nacionalmente, com preços pagáveis e valores de consumo acessíveis”, diz o proprietário Fábio Alves.


Espaço N° 27
• Privilegiar e promover a arte e a cultura em Brasília com a presença de artistas locais em um ambiente diferenciado, que aposta em variados gêneros musicais, além de um cardápio de drinques e petiscos. Essa é a proposta do Espaço N° 27 (713 Norte Bl. C, lj. 27; 98336-1141).
“O espaço foi criado com o intuito principal de providenciar um ambiente confortável para que as pessoas de Brasília possam privilegiar os artistas locais. Desde então, o público tem curtido e elogiado bastante nossos eventos. Os que mais se destacaram foram os shows de rock e jazz”, conta o sócio Paulo Henrique Paiva da Costa. O local já recebeu apresentações de artistas como Joe Silhueta, Anderson Pessoa, Pedro Martins, Lívio Almeida e Allan Massay.  Atualmente, a casa está em reforma e a reinauguração está prevista para a segunda metade do mês de maio. “Pretendemos voltar com tudo no próximo mês, estamos reformulando nossos ambientes, além do nosso cardápio, trazendo os mais variados tipos de drinques, petiscos e chopes”, adianta Paulo Henrique.


Basic Lounge Bar 
 
 
• Com segmento totalmente voltado para a house music, o Basic Lounge Bar (Avenida Araucárias lt. 1325 lj. 15/16 - Águas Claras; 3354-5070) surgiu como opção para quem gosta das batidas eletrônicas.
“A ideia de criar o Basic surgiu após viagens minhas para o Rio de Janeiro e São Paulo. Lá, eu e meus sócios vimos que esse segmento é muito forte e bastante badalado e, então, tivemos de reformular o nosso espaço e seguir essa proposta, um barzinho de música eletrônica”, comenta Eder Nogueira. O espaço é um velho conhecido dos moradores de Águas Claras. O local onde está instalado o Basic já foi Eighties Pub e o Santa Fé, ambos nas mãos do proprietário Eder Nogueira. Atualmente, o Basic conta com dois ambientes: o térreo e o mezanino. O primeiro conta com shows de DJs de terça a domingo e o segundo é um ambiente mais calmo, ideal para festas de aniversário e encontros mais tranquilos, com shows de VJs. Hoje, a partir das 16h, o local tem Holé basic com Jordam (sax) e DJ Eduardo K.

Domaine Bar a Vin 
• Criado com a intenção de trazer a cultura francesa em seu menu, o Domaine Bar a Vin (104 Sul Bl. A, lj. 23; 3321-1120) completou um ano de existência dando espaço à música. Toda quinta-feira, o local recebe apresentações de jazz, MPB e house.
O espaço foi criado a partir da ideia de reproduzir os famosos bar à vins franceses. “Queríamos algo diferente, todos os pratos foram bem pensados, a escolha dos vinhos, em que o cliente e o sommelier fazem a seleção, a decoração, tudo lembra os lugares das experiências que tivemos na França”, revela a sócia Daiany Barbosa. Com mais de 380 rótulos de uma média de 10 países, o Domaine conta com um cardápio sofisticado. “Já ouvimos de clientes que conseguimos trazer um pedaço da França para o Brasil. Para mim isto é muito gratificante: saber que o cliente não saiu da mesma forma que entrou”, completa.

Eye Patch Panda 
• Um clima intimista como o  de curtir na casa de amigos. Essa é a proposta diferente e inovadora que vem do espaço Eye Patch Panda (514 Sul, Bl. A, lj. 16; 98146-8352).
Idealizada com a missão de revitalizar os espaços urbanos criando novos conceitos de encontros sociais e culturais, o Eye Patch Panda produz e abrange, em um só lugar, variados eventos desde MPB, jazz e música latina, à nostalgia do som de vinil, à gastronomia com pães e cervejas artesanais. “Somos um espaço que se transforma de acordo com o evento. Sempre procuramos por uma programação variada, que vai de bandas ao vivo, a festas, experiências gastronômicas. Nosso ambiente é todo pensado e projetado para experiências intimistas, nos quais as pessoas são livres para arrastar os móveis por todo o espaço. Criamos verdadeiras experiências, e não apenas eventos. Com clima intimista, boa comida, bebidas de qualidade e música de primeira, criamos ambientes com conceito que batizamos de At home”, conta o proprietário Flávio Dreer.
 
*Estagiário sob supervisão de Vinicius Nader 


Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade