Publicidade

Correio Braziliense

Projeto abre espaço para os músicos amadores no Feitiço Mineiro

Em Brasília, há mais de um ano, cantores amadores de diferentes faixas etárias participam do Música para todos


postado em 23/04/2018 07:33 / atualizado em 22/04/2018 16:26

Cantores amadores de diferentes faixas etárias participam do projeto(foto: Carlos Vieira/CB/D.A Press)
Cantores amadores de diferentes faixas etárias participam do projeto (foto: Carlos Vieira/CB/D.A Press)

 
A primeira vez que a diva Elza Soares colocou o pé num palco foi no Calouros em desfile, que, na década de 1950, Ary Barroso comandava da Rádio Tupi do Rio de Janeiro. Programas do gênero fazem parte da história da música popular brasileira, e alguns se tornaram clássicos, como o de Sílvio Santos, no SBT. Outras atrações televisivas atuais, como The Voice Brasil e Super Star, da Globo, têm características semelhantes.

Em Brasília, há mais de um ano, cantores amadores de diferentes faixas etárias participam do Música para todos, que ocorre às segundas-feiras, a partir das 20h30, no Feitiço Mineiro, na 306 Norte. Criado por Joel de Oliveira, que também é o coordenador geral, o projeto, segundo ele, tem como objetivo principal, “dar oportunidade às pessoas de manifestar os seus dons artísticos”.
 

Joel se relaciona com a música desde a década de 1960, quando era estudante do Colégio Freire Alemão, no bairro de Campo Grande, no Rio. Em 1977, ao vir morar em Brasília. “Aluno do curso de estudos sociais no Ceub, integrei o coral daquele centro universitário e cheguei a participar de festivais e cantar na noite. Como costumava frequentar o Feitiço Mineiro, propus ao Jerson Alvim, diretor artístico da casa, abrir um espaço na programação para o Música para todos; e obtive ótima acolhida da parte dele”, conta.

Ele deixa claro que o projeto tem como referência os antigos shows de calouros, embora sem o caráter competitivo. “Aqui não há jurados, nem disputa entre os cantores. Cada um canta o que sabe e como gosta, acompanhado pela banda formada por Beto Cardoso (violão e direção musical), Jorge Nunes (violão), Zambinha (baixo) e Manga (bateria). Embora não tenhamos preconceito em relação a nenhum estilo musical, o que predomina no repertório de quem se apresenta é a boa e velha MPB”.

Segundo Joel, em média, há a apresentação de 20 cantores, sendo que cada um interpreta duas músicas. Para tomar parte, os interessados devem se inscrever com a devida antecedência, ligando para o telefone 98128-1663 (WhatsApp); ou acessar a página do projeto no Facebook. O que é arrecadado com o couvert artístico — pago, inclusive, por quem participa — é destinado aos músicos da banda.

A servidora pública e terapeuta Raquel Nobre é uma das participantes mais assíduas. “Gosto muito de cantar, de exercitar o meu lado artístico. Sempre me apresento no Palco Aberto do Clube da Bossa Nova, aos sábados; e, quando soube desse projeto, passei a vir ao Feitiço Mineiro, às segundas-feiras”, ressalta. “O ambiente é bem descontraído, sem nenhum tipo de competição; e quem sobe ao palco se sente um verdadeiro artista”, acrescenta.
 
Raquel Nobre se apresenta na programação do projeto Música para todos(foto: Carlos Vieira/CB/D.A Press)
Raquel Nobre se apresenta na programação do projeto Música para todos (foto: Carlos Vieira/CB/D.A Press)
 

O Música para todos dá vez também a poetas brasilienses, na busca de promover uma interação entre as duas manifestações artísticas. Os recitais de poemas entremeiam a interpretação dos cantores. “Já recebemos no projeto os poetas Luis Carlos de Oliveira, Alceu Correa, Jorge Amâncio, Mauro Rocha, Reny Lima, Noélia Ribeiro e Tânia Gomes”, diz o coordenador. “Essa janela aberta para a poesia num projeto voltado para a música é interessante, pois assim temos oportunidade de mostrar nosso trabalho para um outro tipo de público. Nas récitas tenho mostrado poemas dos meus livros Negro Jorgen e Batom de amor e morte”, destaca.


The  Voice Brasília 
Endereço: 506 Sul Bl. 2 Lj. 7, Asa Sul; 99306-1010
Funcionamento: de segunda a quinta, das 19h à 1h. Sexta e sábado, das 19h às 2h. A entrada individual custa  R$ 15 de segunda a sábado, sendo sendo que na sexta e no  sábado, o valor sobe para R$ 20 (R$ 25 em cartão) após as 23h30. Não recomendado a menores de 18 anos.

Duos Videobar & Karaokê
Endereço: Shopping Real Panoramic; Av. Flamboyant Lt. 24 Lj. 20, Águas Claras; 98433-4696
Funcionamento: Segunda a sábado, das 19h à 1h (R$ 15). Menores de 18 devem estar acompanhados dos pais.

Singers Videokê
Endereço: SCLRN 710 Bloco F lj. 51, Asa Norte; 99379-9415
Funcionamento: de terça a quinta, das 19h às 00h 
(R$ 15), sexta e sábado, das 19h às 2h (R$ 20). Menores de 
18 devem estar acompanhados dos pais.

Karaokê  Yes Club
Endereço: SCRN 706/707, Asa Norte; 3274-7770
Funcionamento: Terça a quinta, 20h às 3h (R$ 15 no dinheiro e 
R$ 20 no cartão). Sexta e sábado, das 20h às 5h (R$ 25 no dinheiro e 
R$ 30 no cartão). Não é permitida a entrada de menores de 18 anos.

Stranger’s Snooker
Endereço: CRS 506 B 7, Asa Sul; 3345-8075
Funcionamento: Segunda a Sábado, 
das 18h às 2h. O acesso ao Karaokê custa 
R$ 10 de segunda a quinta R$ 10, sexta 
e sábado, R$ 20. Valores sujeitos a alteração. Não recomendado a menores de 
18 anos.

Querosene Bar
Endereço: Av. das Araucárias, Águas Claras; 99951-7490
Funcionamento: De terça a quinta e domingo, das 16h às 00h. Sexta e sábado, das 16h às 2h. Entrada livre e gratuita mediante reserva pelo WhatsApp do estabelecimento.
 
 

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade