Publicidade

Correio Braziliense

Surpreendente e aguardado, 'Vingadores: Guerra infinita' chega aos cinemas

O longa da Marvel estreia à 0h01 de quarta para quinta


postado em 25/04/2018 07:00

(foto: Divulgação/Marvel)
(foto: Divulgação/Marvel)


Surpreendente e inesperado. As duas palavras resumem boa parte das primeiras reações de críticos americanos a Vingadores: Guerra infinita. Envolto em mais mistério do que o habitual para produções da Marvel, o novo filme chega aos cinemas à 0h01 de hoje para amanhã e promete fortes emoções para os fãs dos super-heróis.

O segredo em torno de Guerra infinita é justamente uma maneira de impedir que spoilers e vazamentos estraguem a experiência, segundo a própria Marvel. A ideia é manter a surpresa até o final, já que a aposta em reviravoltas surpreendentes é alta. Diretores do longa, os irmãos Joe e Anthony Russo chegaram a pedir que os fãs evitem redes sociais e fiquem off-line até assistirem. Tudo para evitar saber de fatos importantes antes da hora.

Ainda que sem grandes revelações prévias, algumas questões estão claras mesmo antes do lançamento. Uma delas é a importância de Thanos, vilão deste Vingadores. O antagonista deve ter papel fundamental na construção do filme e, por isso, ganhar mais aprofundamento do que outros vilões de produções de super-heróis.

“Thanos é um vilão imparável, ele é virtualmente invencível, é altamente inteligente — um gênio, aliás. Ele é o Gengis Khan deste universo, e para impedi-lo, os Vingadores terão que pagar um preço alto”, afirmou Joe Russo à imprensa americana.

Em Guerra infinita, Thanos busca reunir todas as joias do infinito, objetos que podem controlar forças do universo como espaço, tempo, mente, poder, espírito e realidade. Essas pedras já apareceram em outros filmes da Marvel, como em Doutor Estranho. Em posse de todas elas, Thanos poderia fazer basicamente o que quisesse com a Terra e com todo o universo.

E é justamente por isso que todos os Vingadores se unem contra o vilão. Capitão América, Homem de Ferro, Viúva Negra, Homem-Aranha, Hulk, Thor, Pantera Negra, Doutor Estranho estarão lado a lado. Mesmo ainda abalados depois dos eventos de Guerra civil (em que lutaram entre si), os heróis entendem que só juntos podem ter alguma chance (com muito esforço e sofrimento) contra Thanos.

Sacrifício

Tentar vencer Thanos terá um custo alto para os heróis. Eles terão de abdicar de algumas coisas para conseguir alcançar o objetivo. “Eles precisarão decidir se estão dispostos a pagar esse preço, e é sobre isso que os próximos filmes são”, disse Joe Russo.

“As melhores histórias sempre colocam algo em jogo. Os personagens precisam sacrificar algo ou alguma coisa, para que você realmente sinta a emoção. Na jornada do herói, você precisa passar por provações e essas provações têm um custo alto. É importante mostrar que os heróis sentem dor e também fazem sacrifícios”, explicou o diretor.

Ele e o irmão avisaram aos fãs que se preparem para assistir a momentos dolorosos em Guerra infinita. Personagens queridos pelo público devem passar por momentos difíceis durante as 2h36 do mais longo filme da Marvel. “Queremos que o público esteja preparado, porque existem muitas surpresas — existe muito humor e muita, muita coisa de partir o coração”, disse Joe Russo.

Expectativas

Os mais otimistas apostam em uma estreia avassaladora de Guerra infinita, com chances de bater, inclusive, Star wars: O despertar da força (a melhor bilheteria no fim de semana inicial nos EUA até agora). Isso porque a venda antecipada de ingressos do novo Vingadores foi maior do que a soma dos sete filmes anteriores da Marvel.

Até por conta do mistério e do segredo em torno do enredo de Guerra infinita, as previsões apontam para uma arrecadação de até US$ 255 milhões nos primeiros dois dias. O despertar da força alcançou US$ 247 milhões em 2015. Sucesso mais recente da Marvel, Pantera Negra fez US$ 202 milhões na estreia.

Apesar dos rumores, a própria Marvel e os diretores já confirmaram que o próximo Vingadores (previsto para 2019) não será uma continuação de Guerra infinita. “É semelhante com Capitão América: Soldado Invernal e Capitão América: Guerra civil. Esses dois filmes também se relacionam, têm uma linha narrativa que os conecta, mas, ao mesmo tempo, há uma independência em termos da experiência e para onde a história está avançando. Não será uma relação de parte I e II”, garantiu Joe Russo.

Os anteriores

Os Vingadores (2012) 
Os heróis se unem para combater uma ameça alienígena trazida pelo irmão de Thor, Locke. A batalha final, em Nova York, é uma referência em todo o universo Marvel nas telas.

Os Vingadores: A era de Ultron (2015)
Ultron, o vilão do longa, surge de uma experiência fracassada de Stark para tentar manter a paz. Marca a chegada de novos personagens, como Mercúrio e Feiticeira Escarlate.

Capitão América: Guerra civil (2016) 
Apesar de não ser oficialmente um longa dos Vingadores, Guerra Civil junta todos os heróis na tela. E, mais do que isso, coloca os mocinhos para lutarem entre si, divididos em um time liderado por Homem de Ferro e outro por Capitão América.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade