Publicidade

Correio Braziliense

Fernando César e Ian Coury se encontram no palco do Clube do Choro

Artistas são mestre e pupilo


postado em 03/05/2018 07:30

A dupla apresentará repertório variado, com clássicos e músicas autorais(foto: Cláudia Coury/Divulgação)
A dupla apresentará repertório variado, com clássicos e músicas autorais (foto: Cláudia Coury/Divulgação)

Inicialmente, a relação entre o violonista Fernando César e o bandolinista Ian Coury era a de mestre e discípulo. A saudável rotina de ensinamento e aprendizagem desses músicos de diferentes gerações resultou na formação de um duo responsável por rica sonoridade, que tem sido apreciada em vários locais de Brasília e até fora dos limites do Distrito Federal.

Quinta (3/5) e sexta (4), às 21h, juntos, os dois ocupam, pela primeira vez, o palco do Espaço Cultural do Choro para um show, no qual mostram o quão foi produtiva a interação desenvolvida a partir de 2014. Nessa apresentação, em que interpretam temas variados, eles vão prestar tributo a Jacob do Bandolim, na passagem do centenário de um dos músicos e compositores mais representativos da história do choro.

“Vamos levar ao público no Clube do Choro um trabalho que vem sendo amadurecido desde 2015. O duo tem tocado em casas noturnas, shoppings e espaços culturais da cidade. Já estivemos, inclusive, em Pirenópolis, onde nos apresentamos mais de uma vez, no Café Pirineus”, frisa Fernando Cesar.

Para o violonista, Ian vem tendo um desenvolvimento vertiginoso. “Mesmo sem ter ainda um conhecimento teórico acentuado, ele possui uma percepção muito eficaz do que lhe é passado durante aulas e ensaios, e assimila tudo com facilidade”, elogia. “Além disso, é dono de muita musicalidade, e mostra-se bem espontâneo no palco”, acrescenta.

Embora tenha César como um professor, quando está tocando com ele, Ian se sente bem à vontade. “Ele tem um imenso conhecimento prático e teórico e, com simplicidade, está sempre trazendo uma informação nova, em relação à harmonia e à leitura musical. São sugestões que contribuem para o meu crescimento, meu aperfeiçoamento enquanto instrumentista. Mas, na hora de tocar, como o César me deixa bem à vontade, não sinto diferença por estar ao lado de um mestre.”


Diversificado


No repertório preparado pelo duo para o show há desde clássicos da importância de Carinhoso (Pixinguinha e João de Barro), Chega de saudade (Tom Jobim e Vinicius de Moras) e Samambaia (César Camargo Mariano), passando por Baião Brasil (Hamilton de Holanda) e A estrela e o homem (Pedro Vasconcellos). Para homenagear  Jacob do Bandolim, eles vão tocar Noites cariocas e Quebrando o galho. “Incluímos também Rebento, valsa que fiz para meu filho Bento; e Doçarimba, um samba do Ian, que ele compôs para saudar Dori Caymmi”, anuncia o violonista.

Fernando César tem 47 anos e é ligado à música desde a infância. Em 1981, no âmbito do Clube do Choro, formou com o irmão Hamilton de Holanda o Dois de Ouro – nome dado pelo saudoso Pernambuco do Pandeiro. Desde então, o duo conviveu com mestres da MPB, incluindo Paulinho da Viola, Hermeto Pascoal, Sivuca, Altamiro Carrilho, Turíbio Santos, Dino 7 Cordas e Paulo Moura.

O Dois de Ouro lançou três CDs e fez shows em países da Europa e da África. Ao lado de Hamilton, Fernando se apresentou no Free Jazz Festival e participou de concerto da Orquestra Sinfônica do Teatro Nacional, executando a Suíte Retratos, de Radamés Gnatalli. Ex-coordenador da Escola Brasileira de Choro Raphael Rabello, entre 1988 e 1991, e 2001 a 2004 , o violonista integrou o grupo Choro Livre, tendo gravado dois discos e feito muitos shows no Brasil e no exterior.

“Em 2006, formei o Aquattro, com o qual gravei um CD dedicado à obra de Luperce Miranda; e participei do Projeto Pixinguinha nos anos seguintes. Paralelamente, fazia parte do Choro & Companhia. De 2010 para cá, fui professor de violão 7 cordas em vários cursos e festivais, aqui em Brasília e em Londrina, no Paraná; lancei o meu primeiro disco solo, o 3 por 4, desenvolvi o meu projeto mais recente, intitulado Fernando César e Regional, que fez turnê pelo Rio de Janeiro, São Paulo, Recide e outras cidades brasileiras”, relata o músico

Mesmo com pouco tempo de carreira, o brasiliense Ian Coury, aos 16 anos, já possui um currículo e tanto. Ainda na infância, participou do Curso Internacional de Verão, da Escola de Música, entre 2012 e 2014; e fez o curso de bandolim na Escola Brasileira de Choro Raphael Rabello, além de ter tomado parte em diversas rodas de choro. “Em 2015, fiz o curso de verão Global Strings Intensive, na Berklee College of Music, em Boston (EUA); e o Five Week Program, na mesma instituição, em 2016, ministrado por Mike Marshall.

Ian, que já tocou com Toninho Horta, Armandinho Macedo, Hamilton de Holanda e Paquito de Rivera, em 2017, fez show no Clube de Choro de Chicago, com o baixista brasileiro Ebinho. Em janeiro, ele cumpriu turnê pelos Estados Unidos com o show Quinta Azul; e se apresentou na National Association of Music Merchants Inc, em Anabheim, também na companhia de Ebinho.

Ian Coury e Fernando Cesar
Show do bandolinista e vilonista quinta e sexta, às 21h, no Espaço Cultural do Choro (Eixo Monumental). Ingressos: R$ 40 e R$ 20 (meia para estudantes). Não recomendado para menores de 14 anos. Informações: 3224-0599.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade