Publicidade

Correio Braziliense

Projeto de Elba Ramalho, Geraldo Azevedo e Alceu Valença completa 20 anos

O grande encontrou já é considerado um dos clássicos da MPB


postado em 10/05/2018 07:30 / atualizado em 10/05/2018 08:39

Projeto completa 20 anos de encontros(foto: Marcelo Ribeiro/Divulgação)
Projeto completa 20 anos de encontros (foto: Marcelo Ribeiro/Divulgação)

 
O Grande Encontro, espetáculo que celebra 20 anos com uma longeva turnê, deve ser considerado um clássico na história da música popular brasileira. Mesmo sem a presença de Zé Ramalho, que participava da montagem inicial, o show com Elba Ramalho, Alceu Valença e Geraldo Azevedo, desde a retomada, vem lotando todos os locais em que é apresentado: teatros, ginásios e arenas .

Além disso, os três foram assistidos por multidões, em 2017, no réveillon na praia de Copacabana e no Rock in Rio. Em julho, eles seguem para Portugal, onde ocupam o palco do histórico Coliseu, em Lisboa e Porto; e aproveitam para divulgar o DVD, gravado no Citybank Hall, em São Paulo e lançado pela Sony Music.

Na versão atual, O Grande Encontro, que originalmente possuía formato acústico, incorpora uma sonoridade elétrica e percussiva, esbanja energia, mas sem perder a ternura. Elba, Alceu e Geraldo têm a companhia da banda formada por Marcos Arcanjo e Paulo Rafael (violões e guitarras), Ney Conceição (baixo), Meninão (sanfona), César Michiles (flauta), Anjo Caldas (percussão) e Cássio Cunha (bateria). A direção é de André Brasileiro.

Entre trios, duetos e números solos, eles cantam clássicos da importância de Anunciação, Banho de cheiro, Belle de jour, Canção da despedida, Chão de giz, Coração bobo, Dia branco, Táxi lunar e Tropicana, que fazem parte da memória afetiva de muita gente. No repertório foram incluídas ainda duas joias vintage: Me dá um beijo, parceria de Alceu e Geraldo, do primeiro disco dos dois; e Papagaio do futuro, apresentada por Alceu, Geraldo e Jackson do Pandeiro no Festival Internacional da Canção de 1972.

Sobre a experiência vivida em O Grande Encontro, Elba Ramalho diz: “Individualmente, achávamos que a grandeza estava na simplicidade. Juntos, houve uma explosão, ao mostrarmos uma fatia poderosa da nossa cultura. O Nordeste é potência máxima em música, e nós levamos ao público toda a sua diversidade”. Para Alceu Valença, estar em cena com Elba e Geraldo “é como cantar em casa, numa sala de reboco. Somos da mesma região, o agreste e o sertão de Pernambuco e da Paraíba, e juntos criamos uma identidade orgânica e vivenciamos essa identidade”.



O Grande Encontro
Show com Elba Ramalho, Alceu Valença e Geraldo Azevedo hoje, às 21h. Ingressos entre R$ 100 e R$ 180, pelo site www.eventim.com.br. Não recomendado para menores de 14 anos.



“ Individualmente, achávamos que a grandeza estava na simplicidade. Juntos, houve uma explosão, ao mostrarmos uma fatia poderosa da nossa cultura. O Nordeste é potência máxima em música, e nós levamos ao público toda a sua diversidade”  
Elba Ramalho, cantora
 
 

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade