Publicidade

Correio Braziliense

Por comentário racista, Val Marchiori é condenada a indenizar Ludmilla

Marchiori disse que o cabelo de Ludmilla estava "parecendo bombril" durante desfile no Carnaval de 2016


postado em 06/06/2018 17:39

Val Marchiori (foto: Rede Bandeirantes/Divulgação )
Val Marchiori (foto: Rede Bandeirantes/Divulgação )

 

A Justiça condenou Val Marchiori a indenizar Ludmilla em R$ 10 mil, por danos morais. A socialite, numa transmissão de TV do carnaval de 2016, fez comentário racista sobre a cantora - disse que o cabelo dela estava "parecendo um bombril". Na ocasião, Ludmilla participava de um desfile de escola de samba que Val comentava.

A frase foi: "A fantasia está bonita, a maquiagem... Agora, o cabelo... Hello! Esse cabelo dela está parecendo um bombril, gente!" Na sentença, a juíza Mariana Moreira Tangari Baptista, da 3ª Vara Cível do Fórum Regional da Ilha do Governador, considerou bastante claro que o conteúdo da fala de Val foi ofensivo e racista.

Val, em sua defesa, alegou "o direito à liberdade de expressão" para justificar sua frase, e ainda sustentou que não criticou o cabelo de Ludmilla, e sim a peruca usada por ela então. A juíza não desconsiderou o argumento.

Funkeira Ludmilla durante o desfile da Salgueiro, no carnaval de 2016 (foto: Internet/Reprodução )
Funkeira Ludmilla durante o desfile da Salgueiro, no carnaval de 2016 (foto: Internet/Reprodução )

 

"O vídeo do programa está disponível na internet e nele está muito claro que a primeira ré insiste em comparar o cabelo da autora a um bombril, ainda que os apresentadores do programa tenham tentado impedir que ela continuasse a ofender a autora, afirmando que se tratava de um aplique e não do cabelo da cantora", escreveu.

A sentença diz ainda: "O comentário não teve nenhum conteúdo jornalístico, informativo e útil para os telespectadores. Na verdade, foi um comentário depreciativo e racista, apto a causar dano moral à autora. Tanto o direito à honra e à imagem quanto a liberdade de expressão, assim como os demais direitos fundamentais, não são absolutos. A liberdade de expressão deve ser exercida com responsabilidade, respeitando outros direitos constitucionalmente tutelados, notadamente o da dignidade da pessoa humana".

Na época, Ludmilla se disse triste com o comentário de Val. "Eu fiquei muito triste quando vi o vídeo, mas curti o restante da minha noite de ontem tranquila e com sensação de dever cumprido após o desfile da minha escola maravilhosa, que arrasou na avenida. Quem é essa pessoa? O que eu fiz pra ela? O que ela fez pra chegar onde ela está? E vi que não valia a pena ficar com raiva dela, nem bater boca nas redes sociais".

Val, por sua vez, declarou: "Comigo, se não estava bem vestida, se não mandou bem no look, se não foi simpática, se não foi bacana, eu falava mesmo. Não sobrava pra ninguém! Fazer a linha certinha, não vai ser comigo mesmo! Claro que ao vivo a gente pode acabar falando a mais ou acabar sendo mal interpretada. Foi o que aconteceu no caso da Ludmilla. Vocês podem ter certeza que a última coisa que eu gostaria era ter magoado alguém. Eu adoro a Ludmilla".

Defesa


Val se disse surpreendida pela condenação: "A decisão foi recebida com surpresa, já que não houve de minha parte qualquer comentário racista. Deixando claro que quando uma pessoa aceita participar de um desfile de carnaval, está sujeita a elogios e críticas. Não sou e nunca fui racista. E aguardo, serenamente, que a decisão será revista no recurso que já sendo preparado pelo meu advogado", comentou.

O advogado de Marchiori, Wilson Marchetti, confirmou que irá recorrer da sentença.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade