Publicidade

Correio Braziliense

Festival Varilux traz inéditos do cinema francês

Três cinemas da cidade recebem o festival francês


postado em 07/06/2018 07:30 / atualizado em 06/06/2018 19:20

Cena do documentário A busca do chef Ducasse(foto: Variluxcinefrances/Divulgacao)
Cena do documentário A busca do chef Ducasse (foto: Variluxcinefrances/Divulgacao)

 

Respondendo pela maior fonte de escoamento da produção cinematográfica francesa para o Brasil, o Festival Varilux de Cinema Francês começa hoje, com uma cartela de mais de 20 títulos, absolutamente contemporâneos e inéditos na capital. Cinemas do Liberty Mall, da rede Cinemark (Pier 21) e o Espaço Itaú de Cinema, até o dia 20, trazem o lote de filmes que  mobilizou o deslocamento de artistas da França para as cidades de Salvador, São Paulo e Rio de Janeiro. Temas como coprodução, distribuição e roteiro estão nos debates, encontros e laboratório que integram especialistas experientes no tratamento de itens como realidade virtual aplicada no cinema.

Hoje, em Brasília, às 20h45, o Cine Cultura (Liberty Mall)  exibe o documentário A busca do chef Ducasse, centrado no crescimento do império do famoso Alain Ducasse, que agregou 18 estrelas Michelin no currículo. No Cinemark Pier 21, a programação de hoje alinha A noite devorou o mundo (17h05) — de Dominique Rocher, debruçado no destino do único sobrevivente de uma noitada em Paris —, Gauguin — Viagem ao Taiti (às 19h15), com o ator Vincent Cassel vivendo o personagem-título, em fins do século 19, tomado por enorme solidão e Custódia (21h30), drama de Xavier Legrand, premiado melhor diretor no Festival de Veneza, e que mostra a luta pela guarda compartilhada de uma criança desorientada.

Noutro extremo, do evento, no terreno das risadas e da comédia, aparecem títulos como De carona para o amor, Nos vemos no paraíso (com Niels Arestrup, de O profeta), 50 são os novos 30 e O retorno do herói. Para o Espaço Itaú de Cinema (no CasaPark), a programação da largada no evento trará títulos em que personagens se reacomodam em novas realidades familiares. Às 14h10, desponta A excêntrica família de Gaspard, em que um rapaz, passado longo afastamento, estranha o cotidiano dos parentes. Já em O poder de Diane (16h20), Fabien Gorgeart (diretor que virá ao Brasil, ao lado da estrela Clotilde Hesme) apresenta novos modelos de família, a partir do enredo de casal gay que terá encomendado o filho na barriga da melhor amiga.

Na frente de jovens talentos, o ator revelação Finnegan Oldfield estrela Marvin (atração das 18h10 no Espaço Itaú), longa assinado por Anne Fontaine, centrado num rapaz oprimido pela sexualidade e que busca, em Paris, o colo da atriz Isabelle Huppert (que interpreta a si mesma). Astros como Daniel Auteuil (O orgulho) e Romain Duris (O último suspiro) também terão a imagem nas telonas.

Incluído no Varilux, O amante duplo (de François Ozon, que competiu em Cannes) mostra a personagem de Mariane Vacth embaralhada pelo personagem de Jérémie Renier (ator e diretor que virá ao Brasil), que vive um psicoterapeuta em duas versões. Ainda no festival de cinema, temáticas políticas estão difundidas ainda em dois dos títulos de celebrados cineastas à frente de temas sociais: Nabil Ayouch (de Primavera em Casablanca) e Costa-Gavras (do clássico Z, que, mesmo com enorme atualidade de tema, completa 50 anos de produção).

 

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade