Publicidade

Correio Braziliense

Após polêmicas, CEO da Netflix defende a série '13 reasons why'

Reed Hastings respondeu as criticas sobre a renovação da série para uma terceira temporada


postado em 07/06/2018 17:10 / atualizado em 07/06/2018 17:11

(foto: Netflix/Reprodução)
(foto: Netflix/Reprodução)


As polêmicas sobre o conteúdo da série 13 reasons why continua a todo vapor. Desde a primeira temporada da produção, o seriado teve críticas. Na primeira temporada por conta da abordagem do tema suicídio e na segunda devido a uma cena de estupro no fim da temporada.

De acordo com o portal norte-americano Deadline, o CEO da Netflix Reed Hastings teria classificado a produção como “controversa" e emendado: "mas ninguém precisa assistir”. Isso teria acontecido em uma reunião privada entre acionistas da empresa.

Ainda de acordo com fontes, Hastings comparou as polêmicas envolta da série a popularidade que a Netflix pode conseguir: “13 reasons why tem sido absolutamente popular e bem-sucedida. É um conteúdo que envolve”.

As palavras de Hastings não foram bem recebidas pelo Parents Television Council, uma associação de país norte-americanos, que classificou a declaração do CEO como “insensível”.

Ainda, de acordo com comunicado oficial, a associação questionou as motivações da empresa afirmando: “(Hastings) está ostensivamente proclamando o ganhou financeiro da Netflix em detrimento de consequências reais da sua programação. É isso o que o Sr. Hastings e a Netflix apoiam em um mundo que luta pelo movimento #MeToo?”.
 

Veja o trailer da 2ª temporada de 13 reasons why

 

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade