Publicidade

Correio Braziliense

Chef e apresentador Anthony Bourdain morre aos 61 anos

Bourdain explorou a condição humana e ajudou o público a pensar de forma diferente sobre comida, viagens e a si mesmos


postado em 08/06/2018 08:44 / atualizado em 08/06/2018 17:07

(foto: AFP PHOTO / ANGELA WEISS )
(foto: AFP PHOTO / ANGELA WEISS )

 
Nova York, Estados Unidos - O chef, crítico gastronômico e apresentador de televisão americano Anthony Bourdain cometeu suicídio, na França, aos 61 anos. "É com imensa tristeza que podemos confirmar a morte de nosso amigo e colega, Anthony Bourdain", afirmou a rede CNN em um comunicado.

"Seu amor pelas grandes aventuras, novos amigos e comida e bebida requintadas e as incríveis viagens pelo mundo fizeram dele um contador de história único. Seus talentos sempre nos fizeram ficar admirados, e vamos sentir muita falta dele. Nossos pensamentos e nossas preces estão com sua filha e famílias nesse momento incrivelmente difícil", acrescentou a emissora.

Anthony Bourdain foi encontrado em seu quarto de hotel em Estrasburgo, na França, por seu amigo francês Eric Ripert, coproprietário e chef do Le Bernadin, um dos restaurantes mais famosos dos Estados Unidos, localizado em Nova York.

A Procuradoria de Colmar anunciou à AFP que o chef foi encontrado enforcado no hotel de luxo de Kaysersberg.

Segundo o presidente da CNN, Jeff Zucker, ele gravava na França um novo episódio de seu programa "Parts Unknown". "É muito triste", declarou o presidente dos Estados Unidos Donald Trump, apresentando condolências à família. "Eu adorava seu programa. Era um personagem".

Chef de formação, Anthony Bourdain passou várias décadas nas cozinhas de vários estabelecimentos, incluindo a Brasserie Les Halles, um restaurante francês localizado no sul de Manhattan. Mas foi sua carreira como autor e apresentador de TV que o tornou conhecido do público em geral.

Em 2000, ele publicou "Cozinha Confidencial", um livro no qual conta os bastidores da vida na cozinha, com o toque rock'n'roll da vida em Nova York e seus muitos excessos.

Ele forjou para si a imagem de um combatente, livre pensador, epicurista e humanista, que o acompanhou até o fim. "Ele vai me fazer muita falta", reagiu no Twitter Tarver King, dono de um restaurante em Lovettsville (Virgínia). "'Kitchen Confidential' mudou a minha vida".

- "Contador de histórias" -

Apresentou vários programas de TV sobre gastronomia, até "Parts Unknown", transmitido desde 2013 pelo canal de notícias CNN. O homem com a voz rouca, de carisma natural e cabelos grisalhos visitava os quatro cantos do mundo em busca de autenticidade, celebrando as mais variadas tradições culinárias.

Ele não hesitava em ir a locais inesperados, longe dos destinos turísticos, chegando a visitar a região autônoma de Nagorno-Karabakh, o que lhe valeu o título de "persona non grata" pelo Azerbaijão. "É irreverente, honesto, curioso, jamais condescendente, jamais obsequioso", observou o júri que lhe concedeu o Peabody Award, prêmio da televisão e rádio americanas, no primeiro ano de seu programa.

"As pessoas se abrem para ele e revelam muito mais sobre suas vidas e seu país do que fariam para um repórter comum", completou o júri. "Fazemos perguntas muito simples: o que te faz feliz? O que você come? O que gosta de cozinhar?", explicou Bourdain ao receber o prêmio.

Ele também recebeu sete Emmy Awards, incluindo cinco por "Parts Unknown". Adepto do jiu-jitsu, não viajava sem seu quimono e também era conhecido por seus engajamentos, contra o assédio sexual em restaurantes e em favor da abertura e integração cultural.

Estava, há vários meses, em um relacionamento com a atriz italiana Asia Argento, a quem apoiou em sua cruzada contra o produtor Harvey Weinstein, a quem ela acusa de tê-la estuprado.

Na rede em que Bourdain trabalhava, os locutores mal continham suas lágrimas ao recordar o colega e pediram que as pessoas que sofrem com desespero, ou conhecem alguém que esteja lutando contra a depressão, que procurem um Centro de Valorização da Vida.

"Perdemos um herói", comentou no Twitter o escritor especializado em gastronomia Michael Ruhlman, amigo de Anthony Bourdain.

A jornalista gastronômica da "New Yorker" Helen Rosner elogiou a "capacidade de contar histórias" de um homem para quem "dizer a verdade era uma forma de poder".

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade