Publicidade

Correio Braziliense

Conheça mais sobre a febre mundial do k-pop

Com sucesso nas paradas norte-americanas, o sul-coreano BTS coloca o movimento em patamar internacional


postado em 12/06/2018 07:15 / atualizado em 13/06/2018 10:31

Grupo pop sul-coreano virou febre nos Estados Unidos(foto: Alberto E. Rodriguez/AFP -20/11/17)
Grupo pop sul-coreano virou febre nos Estados Unidos (foto: Alberto E. Rodriguez/AFP -20/11/17)
 
 
O grupo sul-coreano BTS é febre mundial. Com videoclipes bem produzidos, letras que falam diretamente com o público jovem e refrões chicletes, a banda despontou no cenário internacional da música e agora é o primeiro grupo de k-pop a liderar as paradas norte-americanas, ficando no topoda Billboard 200 dos álbuns mais vendidos nos Estados Unidos.

Com um público de fãs autointitulados Army (exército, em tradução livre), o Bangtan Boys, ou melhor BTS — como ficaram conhecidos mundialmente —, começou ainda em 2013. Formado pelos rappers Rap Monster, Suga e J-Hope e os vocalistas Jin, V, Jimin e Jungkook, o grupo traz influências do hip-hop e do R&B norte-americanos, com letras escritas naturalmente no idioma original, mas com frases em inglês que conquistam o público internacional.

Eles estão no Guinness Book como o grupo musical mais tuitado do mundo em 2017, após a primeira apresentação no American Music Awards. Este ano, a banda também ganhou pela segunda vez consecutiva o Top Artista Social da revista norte-americana Billboard, na categoria que premia os artistas mais seguidos nas redes sociais, além de ter feita a segunda apresentação no prêmio, conquista nunca antes alcançada por um grupo de k-pop.

Outro recorde veio com o lançamento do novo single Fake love. A música ultrapassou o número de maior visualizações em 24 horas no YouTube com 41 milhões de views, e se tornou um dos vídeos mais assistidos do site, ficando atrás somente de Look what you made me do, da cantora Taylor Swift.

No Brasil, o grupo veio três vezes, em 2014, em 2015 e outra em 2017. Neste último, os 14 mil ingressos para o show no Citibank Hall, em São Paulo, esgotaram em apenas duas horas. “Acho que o sucesso do BTS vem do esforço deles em conquistar o público estrangeiro. No começo, a empresa Big Hit (produtora do grupo) decidiu investir em promoções no exterior, coisa que não acontecia com a indústria pop sul-coreana, porque, até então, o k-pop era algo muito exclusivo”, afirma Isabelle Morello, 18 anos, universitária e fã do grupo.

Com o sucesso, o BTS praticamente disseminou o k-pop para o mundo e abriu espaço para que mais grupos ficassem conhecidos em outros países. No Brasil, os grupos com mais sucesso entre os fãs do gênero são Blackpink, EXO, Got7, Monster X e Red Velvet.
 
Fãs do grupo sul-coreano ultrapassa as fronteiras da Coreia do Sul(foto: Robyn Beck/AFP - 19/11/17)
Fãs do grupo sul-coreano ultrapassa as fronteiras da Coreia do Sul (foto: Robyn Beck/AFP - 19/11/17)
 

K-pop


O k-pop é o nome dado à indústria sul-coreana de pop. Conhecidos pelo investimento alto em produções de videoclipes, músicas que misturam diversos ritmos, como rock, soul, pop e até MPB, e grupos formados por mais de cinco integrantes, normalmente, do mesmo sexo. O hit Gangam style, de Psy, é um pop coreano, por exemplo.

“Conheci o k-pop um pouco antes de ficar mais conhecido no Brasil. Foi em meados de 2011, um ano antes do Psy estourar no mundo. Me lembro que as pessoas sequer sabiam o que a palavra k-pop significava na época. Mas, em 2013, quando BTS fez a estreia, eles começaram a ganhar notoriedade nos países estrangeiros, principalmente aqui no Brasil e vi o k-pop se tornar um gênero cada vez mais popular”, analisa Andreza Souza, 23 anos, outra fã do grupo.

Além disso, o que pode parecer algo feito somente para o público jovem também tem alcançado o público mais maduro. “Minhas filhas começaram me apresentar alguns produtos do k-pop e fiquei viciada nos grupos musicais, além dos filmes e doramas”, revela Alessandra Almeida da Silva, 44 anos, dona de casa.

Em Brasília, há alguns grupos que organizam eventos para reunir fãs do gênero. De acordo com os organizadores, tem crescido o número de pessoas nos eventos. “O último que fizemos tinha cerca de 250 participantes, principalmente entre a faixa etária de 12 a 18 anos. Tem muita gente que também está conhecendo o estilo musical agora”, afirma Silmara de Castro Medeiros, 30 anos, organizadora do evento 2! 3! K-Power.

*Estagiária sob supervisão de Igor Silveira


Onde conhecer mais sobre k-pop?


• 1) Explicando: A série de minidocumentários da Netflix explora temas atuais variados e o quarto episódio fala a origem, as principais mudanças e a abertura internacional.

•  2) 2! 3! KPower: O evento será realizado em 30 de junho no colégio Notre Dame (SGAS Q. 914 cj A lt 62/64), às 12h. Com concurso de dança, brincadeiras, sorteios e vendas de produtos personalizados. Entrada franca. Classificação indicativa livre.

• 3) Kpop Gang: Iago Aleixo, Thais Genaro e Thais Midori formam o trio de canais no YouTube que abordam o mundo k-pop. Todos já viajaram para a Coreia do Sul e contam suas experiências.

• 4) K-pop - Manual de sobrevivência: Escrito por Babi Dewet, Érica Imenes e Natália Pak, o livro promete revelar tudo sobre a cultura pop sul-coreana.

• 5) Kpop Art: Evento neste sábado na Biblioteca Nacional às 10h com apresentações, randon play dance, venda de artigos e batalha de dança. Entrada franca. Classificação indicativa livre.

Confira uma lista de videoclipes de K-pop:

1) Fake Love - BTS

2) Come Back Home - 2NE1

3) Jealousy - MONSTA X

4) Kill Bill - Brown Eyed Girls

5) Press Your Number - Taemin do grupo SHINEe
 

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade