Publicidade

Correio Braziliense

Professor da UnB lança livro sobre o Santo sudário nesta quarta

O livro é resultado de cinco anos de investigação sobre o tecido sagrado que teria envolvido o corpo de Jesus


postado em 12/06/2018 14:42 / atualizado em 12/06/2018 14:43

No livro, Michelângelo mostra as controvérsias que circundam o Santo sudário(foto: Roberto Fleury/UnB Agencia)
No livro, Michelângelo mostra as controvérsias que circundam o Santo sudário (foto: Roberto Fleury/UnB Agencia)

 
O professor da UnB Michelângelo Trigueiro lança, nesta quarta (13/6), o livro Santo sudário: O que diz a ciência?. Na obra a ser lançada às 19h, no Carpe Diem (104 Sul), o sociólogo apresenta as controvérsias entre diferentes olhares da ciência a respeito do sudário de Turim (ou Santo sudário), um relevante símbolo cristão. 

Foram cinco anos de estudos sobre o objeto, analisando artigos científicos, fotografias e vídeos. O livro coloca em evidência o que a ciência diz sobre o assunto, mas também com um olhar para o grande público. "Um dos objetivos foi compreender como as controvérsias a favor ou contrárias à autenticidade do Santo Sudário evoluem, são encerradas ou reabertas. Tudo isso, para entender o quanto que a ciência é influenciada por valores outros que não os da racionalidade técnica", explica o professor Michelângelo na divulgação do livro. 

O santo Sudário, segundo as crenças, serviu de mortalha para o corpo de Jesus. Apesar de sempre ter sido um símbolo querido pelos cristãos, foi em 1898 que o tecido ganhou relevância científica. O fotógrafo amador e advogado Secondo Pia fotografou o sudário e, ao olhar os negativos, viu que as imagens conseguidas por ele estavam mais nítidas do que as do tecido. A pesquisa de Michelângelo aborda um tema cristão, mas, segundo o escritor, não se trata apenas dela: "o livro não é um trabalho de religião. É, ao contrário, o resultado de anos de pesquisa, realizada com muita cautela; o assunto assim exige".

Serviço

Lançamento do livro Santo sudário: O que diz a ciência?
Editora Appris, 155 páginas. R$ 52.

Restaurante Carpe Diem (104 Sul)
13 de junho, às 19h. Entrada franca. Classificação indicativa livre.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade