Publicidade

Correio Braziliense

Conheça os trabalhos dos fotógrafos Breno Galtier e Thaís Mallon

A dupla é conhecida por registrar a cena musical e autoral de Brasília


postado em 08/07/2018 07:20

(foto: Crédito: Yvã Santos/Divulgação e Célio Maciel/Divulgação)
(foto: Crédito: Yvã Santos/Divulgação e Célio Maciel/Divulgação)

Joe Silhueta, Scalene, Lupa, Dona Cislene, Moara, Rios Voadores, Trampa, Passo Largo, Aloizio, Toro, Stoyca, Banda Augusta, Raquel Reis, Koppa, Tiju e Aiure... A lista de “clientes” é grande para os fotógrafos Breno Galtier, 23 anos, e Thaís Mallon, 28. Nascidos e criados em Brasília, os dois estão entre os profissionais mais requisitados da cena musical candanga. São eles os responsáveis por fotos promocionais, cliques durante os shows e até produção de videoclipes desses artistas. O Diversão & Arte conversou com a dupla e conta um pouco da trajetória dos fotógrafos.

Breno Galtier 


Fotógrafo preferido da Banda Scalene, Breno Galtier começou a clicar aos 18 anos, assim que deixou o ensino médio. “Eu ia fotografando artistas dos quais eu era fã e mostrando para eles. Foi meio dessa forma. Só que no começo eu não fazia bandas de Brasília, então muita gente nem sabia que eu era daqui”, lembra, sobre o início da carreira.

Um dos primeiros grupos da cidade registrados por Galtier foi a Scalene, banda que ele acompanhou em 2017, durante a participação no festival Rock in Rio. “Em 2014, quando fotografei um evento da cidade, as pessoas passaram a me conhecer aqui. Trabalhei para a Scalene e com eles fui crescendo em Brasília”, explica.

Ver galeria . 5 Fotos Banda Lupa no Funn FestivalBreno Galtier/Divulgação
Banda Lupa no Funn Festival (foto: Breno Galtier/Divulgação )


Galtier destaca que o diferencial de um bom fotógrafo é observar tudo ao redor, cada detalhe. “Tento captar a experiência toda do show em si. Não só retratos comuns dos fãs, mas uma essência que possa mostrar a emoção de quem estava lá”.

Para as imagens promocionais, ele conta que tenta apostar em espaços diferenciados. “Vou atrás de uma locação com o meu olhar. Vou achando uns cantinhos, amigos fotógrafos vão dando dicas... Mas mesmo que seja um lugar bastante usado, o importante é que cada um tem seu ponto de vista”, explica. Galtier deixou Brasília nos últimos dias de mudança para São Paulo e tem acompanhado a turnê Brasileiro, do cantor Silva.


Thaís Mallon 


Uma das poucas mulheres fotógrafas nesse cenário, Thaís Mallon, 28 anos, tem 10 anos de experiência na profissão. O início foi em 2008 quando entrou para o curso de comunicação social com habilitação em audiovisual. “Minha intenção era fazer cinema. Mas desde o início eu estava pendendo mais para o lado da fotografia”, recorda.

Os primeiros trabalhos com artistas da música foram em 2010, quando integrou o extinto Coletivo Esquina, que promovia eventos culturais com bandas autorais da cidade. “Aí tudo começou. Nós mesmos produzíamos os eventos e fazíamos a cobertura. Então fui sendo chamada para fazer fotos das bandas, esse mercado acabou me acolhendo”, lembra.

Ver galeria . 5 Fotos Banda Rio Voadores em showThaís Mallon/Divulgação
Banda Rio Voadores em show (foto: Thaís Mallon/Divulgação )


Durante um tempo, Thaís era conhecida como a fotógrafa oficial da banda Trampa. Chegou a acompanhar o grupo em shows fora do Brasil. Atualmente, ela se divide entre fotografar diferentes artistas da cidade e  documentar o projeto Sofar sounds — que reúne artistas da cidade para sessões musicais em locais inusitados. Mais recentemente, ela trabalhou com a cantora Moara, com quem gravou o clipe Peito aberto. “Desde o ano passado, tenho começado a focar em clipes e em projetos mais autorais com os artistas”, conta.

Sobre os segredos nas horas dos cliques, a brasiliense diz que tem muito a ver com o início na fotografia. “Comecei em lugar ruim, com equipamento precário, então, meio que aprendi na marra. Peguei o jeito de trabalhar em situações em que era difícil tirar uma coisa boa. Então, o mais importante é sacar a vibe da banda ou de quem eu esteja fotografando”, revela.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade