Publicidade

Correio Braziliense

Há 36 anos o Brasil perdia o rei do ritmo, Jackson do Pandeiro

O músico morreu após show em Brasília aos 62 anos


postado em 10/07/2018 18:00 / atualizado em 11/07/2018 17:30

A música de Jackson do Pandeiro foi resgata pela Tropicália no fim da década de 1960(foto: Reprodução/Internet)
A música de Jackson do Pandeiro foi resgata pela Tropicália no fim da década de 1960 (foto: Reprodução/Internet)
Ao lado de Luiz Gonzaga e Dominguinhos, Jackson do Pandeiro, também conhecido como rei do ritmo, pertence ao panteão de artistas que fizeram o forró pé-de-serra ecoar em todo o Brasil na metade do último século. Outro importante ritmo tipicamente brasileiro, o samba também sofreu grande perda com a morte do pernambucano, há exatos 36 anos, vítima de complicações de embolia pulmonar e cerebral.

Após show em Brasília, o músico, que era diabético, passou mal e morreu ainda na capital, aos 62 anos. Antes da fatalidade, Jackson do Pandeiro estava prestes a pegar voo no Aeroporto de Brasília para o Rio de Janeiro, para onde o corpo foi levado e velado. 
 
Jackson do Pandeiro, o rei dos rítmos, com Hermeto Pascoal, o bruxo dos sons(foto: Reprodução/Internet)
Jackson do Pandeiro, o rei dos rítmos, com Hermeto Pascoal, o bruxo dos sons (foto: Reprodução/Internet)
 
 
“Vá de Jackson do Pandeiro”, diz Chico Buarque na canção em que cita artistas marcantes em sua vida. Entre os inúmeros músicos que Jackson influenciou, estão Gilberto Gil, Alceu Valença, Elba Ramalho e Zé Ramalho. 

Sebastiana, A mulher do aníbal, Forró em limoeiro, Um a um, 17 na corrente estão entre os primeiros e grandes sucesso de Jackson nos anos 1950, que veria a música regional cair no gosto popular diante da chegada da jovem guarda.

Jackson do Pandeiro foi resgatado, junto ao regionalismo musical, pelo movimento antropofágico do fim dos anos 1960. O tropicalista Gilberto Gil gravou duas das canções do mestre pernambucano no clássico disco Expresso 2222 (1972): A ema gemeu e Chiclete com banana.

Em 2008, Jackson do Pandeiro aparece na 49ª posição de lista produzida pela Rolling Stone que elege os 100 maiores artistas da música brasileira.
 
 

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade