Publicidade

Correio Braziliense

Gisele Fróes é indicada ao Shell por peça de Adriano Guimarães

Atriz é protagonista de 'O Imortal', produção realizada por diretor de Brasília


postado em 16/07/2018 16:10 / atualizado em 16/07/2018 16:13

Atriz Gisele Fróes em cena do espetáculo O imortal (foto: Ismael Monticelli/Divulgação)
Atriz Gisele Fróes em cena do espetáculo O imortal (foto: Ismael Monticelli/Divulgação)


Gisele Fróes foi indicada ao Prêmio Shell de Teatro na categoria atriz por protagonizar o primeiro monólogo da carreira, em O imortal. A peça conta a história de uma mulher que recebe um manuscrito histórico e começa uma trajetória em busca da Cidade dos Imortais e de um rio sagrado. Produzida pelo brasiliense Adriano Guimarães, a peça foi apresentada no Rio de Janeiro.

O Prêmio Shell de Teatro do Rio de Janeiro divulgou nesta segunda-feira (16/7) a lista de indicados do primeiro semestre da sua próxima edição. O vitorioso de cada uma das nove categorias receberá uma escultura em metal do artista plástico Domenico Calabroni e uma premiação individual de R$ 8 mil. O júri delegou, dentre os 12 espetáculos e uma companhia teatral, a seguinte lista para a 31ª edição do evento.

Autoria:
Mariana Lima por "Cérebro Coração"
Cecilia Ripoll por "Rose"
 
Direção:
Rodrigo Portella por "Insetos"
Cristina Fagundes por "A vida ao lado"
 
Ator:
Ricardo Blat por "No meio do nada"
Leandro Santanna por "Lima entre nós"
 
Atriz:
Amanda Acosta por "Bibi - uma vida em musical"
Mariana Lima por "Cérebro Coração"
Gisele Fróes por "O imortal"
 
Cenário:
Beli Araújo e Cesar Augusto por "Insetos"
Dina Salem Levy por "Cérebro Coração"
 
Figurino:
Ney Madeira e Dani Vidal por "Bibi - uma vida em musical"
Eduardo Giacomini por "Nuon"
 
Iluminação:
Beto Bruel e Rodrigo Ziolkowski por "Nuon"
Beto Bruel por "Cérebro Coração"
 
Música:
Tato Taborda por "Utopia D"
Felipe Storino por "Vim assim que soube"
 
Inovação:
Espetáculo Sblood pela experiência imersiva e interdisciplinar que através de uma instalação permite que o espectador entre em um jogo dramatúrgico e sensorial.
Coletivo 2ª Black por criar um espaço de encontro, pesquisa, troca de saberes e apresentações de experiências cênicas de artistas negros.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade