Publicidade

Correio Braziliense

Teatro do Concreto completa 15 anos com projeto sobre a cidade

Trupe do Teatro do Concreto vai comemorar a data propondo diálogo entre Brasília, contemporaneidade e arte


postado em 24/07/2018 06:28

Ciclo de diálogos: processo de pesquisa para novo espetáculo da trupe Teatro do Concreto(foto: Diego Bresani/Divulgação)
Ciclo de diálogos: processo de pesquisa para novo espetáculo da trupe Teatro do Concreto (foto: Diego Bresani/Divulgação)

 
A trupe brasiliense Teatro do Concreto completa 15 anos de trabalho. Em comemoração, reunirá pesquisadores e artistas das mais diferentes áreas para um ciclo de diálogos sobre as mais variadas narrativas da cidade contemporânea, com intuito de criar um espetáculo que estreará em 2019. O projeto começa nesta terça (24/7) e vai até quinta-feira, no SESC 504 Sul, sempre às 19h30, com entrada gratuita e livre para todos os públicos.

Com direção de Francis Wilker e dramaturgia e codireção de João Turchi, o novo processo criativo do Teatro do Concreto, Entre Vistas: a cidade como livro, tem como foco a criação de uma obra que coloque em diálogo e atrito os diversos discursos presentes na cidade contemporânea.

"Podemos pensar que a arquitetura, a história, a arte, a política e o cotidiano estão a todo tempo produzindo narrativas de cidade, e nosso desejo é lançar um olhar investigativo, crítico e poético para esse organismo vivo que é a cidade", comentou o diretor Francis Wilker.

A reunião de diferentes profissionais é um traço forte nos processos de criação da trupe brasiliense. Um arquiteto, uma multiartista, um cientista social, um escritor e uma cantora compartilham seus pontos de vista acerca dos diferentes textos presentes no espaço urbano, criando outras formas de enxergar o tema e lançando provocações iniciais para que atores e diretores se aventurem por essas narrativas de cidade.

"Identificar e criar fricções entre discursos arquitetônicos, políticos, históricos, artísticos e cotidianos em relação a uma cidade aponta um campo fértil de invenção para a nova empreitada do Teatro do Concreto”, contou o dramaturgo e codiretor João Turchi

A ação faz parte do projeto de manutenção do Teatro do Concreto, desenvolvido com recursos do Fundo de Apoio à Cultura do DF (FAC). O projeto intitulado Concreto Expandido se divide em três eixos: Memória do grupo — A catalogação de acervo da trupe que será tratado por profissionais da área de arquivologia e museologia. Mapeando cartazes, diários de bordo dos artistas, matérias de jornal, fotos e vídeos, e a partir disso criar um site, com esses registros e com textos críticos.
 
 
(foto: Diego Bresani/Divulgação)
(foto: Diego Bresani/Divulgação)

A informações do grupo serão apresentadas em três idiomas (inglês, português e espanhol) com o objetivo de ampliar o diálogo internacional. A formação dos artistas do Concreto com ministrações de artistas de outros coletivos teatrais do Distrito Federal em oficinas de dramaturgia; atuação; visualidades da cena; performance. O último eixo visa ao desenvolvimento de um processo criativo para a formação de um novo espetáculo, a partir do tema “textos da cidade”.

Nesta terça-feira, a artista multidisciplinar, mestra e doutoranda em artes pela Universidade de Brasília Íris Helena e o doutor em ciências sociais e coordenador do programa de pós-graduação em sociologia da UnB, Edson Farias, abordarão o tema A (re)invenção dos discursos.

* Estagiário sob supervisão de Igor Silveira


Entre Vistas: a cidade como livro

De hoje a quinta-feira, no Sesc 504 Sul. Entrada franca. Classificação indicativa livre.
 
 
 
 
 
 

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade