Publicidade

Correio Braziliense

Filha de Ivo Meirelles denuncia racismo que sofreu em loja da C&A

Empresa afirma que está averiguando o fato para tomar medidas cabíveis


postado em 25/07/2018 17:36

Vitória ao lado do pai, Ivo Meirelles(foto: Instagram / @ivomeirelles )
Vitória ao lado do pai, Ivo Meirelles (foto: Instagram / @ivomeirelles )
A filha do músico Ivo Meirelles, Vitória Meirelles, publicou um relato em seu perfil no Facebook alegando ter sofrido racismo por parte de uma funcionária de uma loja da rede C&A.
 
 
 
A jovem contou que se sentiu perseguida pela funcionária, que foi atrás dela por cada canto da loja em que passava: "O pior de tudo são as pessoas olhando para minha cara como se eu realmente fosse uma suspeita".

Antes de sair da loja, Vitória ainda tentou falar com a funcionária e acusou-a de racismo: "Com dois seguranças negros parados ali, perguntei em alto e bom tom se ela estava com algum problema comigo, se era o tom da minha pele ou a característica das minhas vestes. A revolta tá gigante, mas sigo firme. E ainda tem gente que acha que o que passamos diariamente não passa de um 'mimimi'", concluiu.

O caso ocorreu no centro do Rio de Janeiro na última segunda-feira, 23. O pai da jovem publicou mensagens de indignação em sua conta no Instagram:
 

"Uma vergonha! Acabei de saber que ontem, uma funcionária, loura, perseguiu a minha filha e chegou a invadir o provador, achando se tratar de uma ladra, apenas pela cor da pele". O músico utilizou outra postagem para deixar o recado de que "racistas não passarão" e afirmou que um boletim de ocorrência estava a caminho.
 

Bom dia, filhaaaaaa! RACISTAS NÃO PASSARÃO! Te amo, minha PRETINHAAAA! %u2764%uFE0F #racistasnaopassarao

Uma publicação compartilhada por Ivo Meirelles (@ivomeirelles) em

 

Após receber comentários dizendo que estava usando a história para chamar atenção, Vitória desabafou nos Stories do Instagram: "Se eu quisesse fama, eu usaria uma outra forma de conseguir, e não dessa forma péssima. Não diminuam a situação pela qual eu passei".

Procurada, a assessoria da C&A afirmou ao E+ que a empresa "repudia qualquer tipo de preconceito, seja ele por raça, cor e/ou religião" e que está "averiguando o fato para tomar as medidas cabíveis"

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade