Publicidade

Correio Braziliense

Mostra com 11 filmes traça mapa da produção italiana contemporânea

Mostra terá 28 sessões até 8 de agosto


postado em 02/08/2018 07:30 / atualizado em 01/08/2018 18:34

Fortunata tem Edoardo Pesce no elenco, à frente de personagem forte (foto: Indigo Film/Divulgação )
Fortunata tem Edoardo Pesce no elenco, à frente de personagem forte (foto: Indigo Film/Divulgação )

 
Filmes tinindo de novos compõem o painel de 11 títulos selecionados por Stefano Savio para a 8 1/2 Festa do Cinema Italiano que, em Brasília, terá sede no Cinema da rede Itaú, no CasaPark. O evento se estende até 8 de agosto, com 28 sessões pagas (a R$ 20). Junto com aguardadas e inéditas fitas como Uma questão pessoal (dos irmãos Paolo e Vittorio Taviani) e Nico, 1988 (vencedor da mostra Horizonte, no Festival de Veneza), títulos igualmente premiados estrelados pelo ator Edoardo Pesce — que está no Brasil, para a divulgação do evento — estão integrados à mostra.

Hoje, às 21h, será mostrado Fortunata, assinado por Sergio Castellitto (de Não se mova), em que Pesce interpreta Franco, homem rude e inconformado com a indiferença da ex-mulher Fortunata (Jasmine Trinca, melhor atriz da mostra Um Certo Olhar, em Cannes). A cabeleireira tem planos simples, como criar a filha e ter o próprio salão. Amanhã, às 21h, Edoardo Pesce desponta no elenco do filme Dogman (do polêmico diretor Matteo Garrone). Na fita, ele dá vida ao truculento Simone, violenta presença na vida do simplório e acovardado Marcello, dono de petshop numa periferia. Personagem central do longa, Marcello Fonte levou a Palma de Ouro em Cannes de melhor ator.



8 ½ Festa do Cinema Italiano
No Espaço Itaú de Cinema Brasília (CasaPark, SGCV Sul Lt. 22), com ingressos a R$ 20 e R$ 10 (meia).



Destaque


Emma
De Silvio Soldini (115min, não recomendado para menores de 14 anos). Indicado ao prêmio máximo de cinema na Itália, o David di Donatello, de melhor atriz para Valeria Golino, o filme se concentra na alteração de vida que ela proporciona para Teo (Adriano Giannini). Desapegado de responsabilidades, ele conhece a médica, dedicadíssima na superação da deficiência visual. A expansão de sentidos dela toca profundamente o niilista Teo. Hoje, às 14h.


A ternura
De Gianni Amelio. (103 min, não recomendado para menores de 14 anos). O reconhecido diretor septuagenário, premiado em Veneza por América — O sonho de chegar, se debruça na trama de Lorenzo, advogado aposentado que vê a vida esgotada pela falta de amor. Inesperadamente, depois de uma internação em hospital, ele se apega a estranhos que moram na sua rua. Uma nova condição para os recém-feitos amigos derruba a passividade reinante. Renato Carpentieri levou o prêmio de melhor ator, pelo David di Donatello. Hoje, às 16h20, e amanhã, às 14h.


Aqui em casa tudo bem
De Gabriele Muccino. (105min, não recomendado para menores de 14 anos). Diretor de enorme carga emotiva (vide À procura da felicidade, com Will Smith, e O último beijo), Mucccino examina os meandros das bodas de ouro de um casal, numa festa em que, impedidos de saírem, vários familiares entram em atrito. Hoje e sábado, às 18h40.


Made in Italy
De Luciano Ligabue. (104min, não recomendado para menores de 14 anos). A amizade se prova esteio para Riko, homem azarado e de posses limitadas. Dirigido por renomado músico da Itália. Amanhã, às 16h20.


A vida em família
De Eduardo Winspeare. (110 min, não recomendado para menores de 12 anos). Exibido no Festival de Veneza de 2017, centraliza a trama em pequena cidade italiana, em que um prefeito trava inesperado encontro com presidiário que, tal qual ele, ama a literatura. Amanhã, às 18h40.


Pobres mas ricos 

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade