Publicidade

Correio Braziliense

Festival de Brasília anuncia prêmio para celebrar o cinema feminino

Prêmio Leila Diniz será concedido a Íttala Nandi e Cristina Amaral. Também serão homenageados na edição Ismael Xavier e Walter Mello com a medalha Paulo Emílio Salles Gomes


postado em 08/08/2018 16:07 / atualizado em 28/08/2018 18:30

O secretário de Cultura do DF, Guilherme Reis, e organizadores do festival divulgam a programação completa do evento(foto: Adriana Izel/CB/DA Press)
O secretário de Cultura do DF, Guilherme Reis, e organizadores do festival divulgam a programação completa do evento (foto: Adriana Izel/CB/DA Press)
 

 

O Festival de Brasília do Cinema Brasileiro 2018 terá uma forte presença das mulheres. Elas representam 52,4% da direção dos filmes selecionados para a Mostra Competitiva da 51ª edição, que ocorre entre 14 e 23 de setembro. Isso tem a ver com o momento atual e com o desejo do festival de valorizar a diversidade.


"A programação não tenho nenhuma dúvida, mais uma vez, retrata, dialoga, espelha e reflete a nossa realidade cultural, social e política e também dialoga com o mundo", garante Guilherme Reis, secretário de Cultura do DF.

Além de serem predominantes nas mostras, neste ano, o protagonismo feminino no cinema será celebrado com o Prêmio Leila Diniz, que será entregue a atriz, produtora e dramaturga Íttala Nandi e a montadora Cristina Amaral, que vão compor também o júri da Mostra Competitiva. O anúncio foi feito em coletiva de imprensa nesta quarta-feira  (8/8) no recém-reinaugurado Espaço Cultural Renato Russo 508 Sul.

"Leila Diniz não é só uma figura do cinema brasileiro, mas do Festival de Brasília. Esse não é um prêmio para atrizes, mas a ideia é mostrar pessoas que tenham representação no audiovisual", explica o curador Eduardo Valente.

A edição ainda prestigia o professor e crítico de cinema Ismael Xavier e Walter Mello, um dos idealizadores do Festival, ambos com a medalha Paulo Emílio Salles Gomes em seu terceiro ano.

 

Abertura e encerramento 

 
Com 10 dias de duração, o Festival de Brasília do Cinema Brasileiro abre em 14 de setembro com a exibição do longa Domingo, de Clara Linhart e Fellipe Barbosa. 

A trama se passa no dia da posse do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva em janeiro de 2003 e mostra a história de duas famílias no interior do Rio Grande do Sul. A produção está na mostra Venice Days, no Festival de Veneza, e tem no elenco a homenageada Íttala Nandi, que retorna às telas após um tempo afastada do cinema.

Antes da exibição do longa, a abertura terá ainda o curta Imaginário, de Cristiano Burlan. O filme faz um apanhado dos discursos marcantes sobre a vida política em 1940.

No encerramento em 23 de setembro, antes do anúncio do Troféu Candango — que, neste ano, é disputado por 12 curtas e nove longas — será exibido o documentário América armada, de Alice Lanari e Pedro Asbeg, que traça um panorama da violência no Brasil.

Mostras

Ao todo, o Festival terá mais de 120 longas divididos em mostras paralelas e competitivas exibidas do Cine Brasília a espaços em 13 regiões administrativas do DF. Serão nove longas e 12 curtas na seleção da Mostra Competitiva, que dará prêmios de cachê de seleção de até R$ 15 mil. Também há a Mostra Brasília para celebrar a produção local. A premiação é da Câmara Legislativa do DF.

Três mostras compõe a parte paralela: A arte da vida, em que os processos criativos dos personagens estão mesclados as próprias vidas; Onde estamos e para onde vamos?, quatro documentários que apontam a trajetória política e social do Brasil; e Festival dos festivais, com obras que foram lançadas em outros eventos cinematográficos em 2017.

A programação contempla ainda duas mostras especiais: Futuro Brasil e Caleidoscópio. A primeira é formada por seis produções em processo de finalização. Já a segunda busca colocar em evidência o cinema de invenção, celebrando e premiando esse tipo de produção.

O Festival terá ainda o FestUni, festival universitário (que chega a segunda edição e terá os filmes selecionados divulgados até 30 de agosto); Festivalzinho; Cinema Voador (com exibição de curtas e longas premiados na Mostra Brasília) e Sessão Homenagem com exibição do filme Lance maior (1968), de Sylvio Back.

O aplicativo, lançado no passado, continua neste ano, com programação, júri popular, roteiros turísticos e outras ferramentas.

Atividades formativas


Pensando na formação do cenário audiovisual, as atividades formativas estão de volta e contemplam painéis setorias, debates, master class, conversas livres e oficinas, com inscrições abertas a partir de 10 de agosto até o dia 25.

Após o sucesso no ano passado, o Ambiente de Mercado chega à segunda edição com programação de 19 a 21 de setembro com painéis, key note, seminário Film comission, rodada de negócios, conversa com players e pitchings abertos, no Complexo Cultural da República, na Esplanada dos Ministérios.

Haverá a venda do Passaporte de Ambiente de Mercado no valor de R$ 120, que dá acesso às rodadas de negócios. Já estão confirmadas as presenças dos players Canal Brasil, Canal Curta!, Cine Brasil TV, FOX, Downtown Filmes, Encripta, Viacom, TV Escola, NBC Universal, Looke, entre outros.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade