Publicidade

Correio Braziliense

Música, arte, games e sustentabilidade na programação do CoMA

Evento ocupa o gramado da Funarte com debates e shows


postado em 09/08/2018 07:30 / atualizado em 08/08/2018 19:29

Músico inglês Martin Atkins participa de uma conferência no domingo, às 17h(foto: Reproducao)
Músico inglês Martin Atkins participa de uma conferência no domingo, às 17h (foto: Reproducao)

 

 A partir de amanhã, o Festival CoMA (Convenção de Música e Arte) chega à segunda edição unindo música, arte, games, sustentabilidade e conhecimento. Com programação até domingo, o evento invade o Eixo Monumental, no  Complexo CoMA, uma área que envolve o gramado da Funarte, o Centro de Convenções Ulysses Guimarães, o Clube do Choro e o Planetário.


Como no ano passado, o primeiro dia do evento é dedicado aos debates. Com entrada gratuita, a programação de sexta-feira é uma espécie de teste do festival, que começa a se aproximar de uma área em ascensão em Brasília, o mercado de games. “Brasília é um lugar em que esse setor está crescendo muito. Teremos uma série de palestrantes e painelistas importantes da cidade e de fora para discutir esse mercado, que hoje é maior do que o cinema e a música”, analisa André Noblat, um dos idealizadores do evento ao lado de Tomás Bertoni.

Também na sexta-feira, o festival tem uma festa de abertura no Estádio Nacional de Brasília Mané Garrincha. Intitulada de Pré do Slap, a festa contará com show do rapper Rashid, que traz a turnê do álbum Crise, com faixas como Bilhete 2.0 e Química. Além da presença de integrantes de bandas que fazem parte do line-up do festival dando uma palinha como DJs, são eles os artistas dos grupos Far From Alaska, Supercombo e Plutão Já Foi Planeta. No mesmo dia, artistas locais disputam a final do Brasília Independente, no Clube do Choro.

Momento de debate

No sábado e no domingo começam as programações musicais e as conferências dedicadas ao mercado musical, que terão presenças internacionais, como do baterista Martin Atkins, britânico que atuou em bandas como PiL, Ministry e Nine Inch Nails. “Trouxemos temas mais atuais e relevantes, que serão divididos em painéis em três salas, sendo uma mais voltada para Brasília e as outras duas para o cenário nacional e internacional”, completa André Noblat, se referindo às salas Águas Claras, Alvorada e Buriti, no Centro de Convenções.

Neste ano, as conferências contarão ainda com presença de festivais nacionais e internacionais, como LIFA (México), Altavoz (Colômbia), Consquin Rock (Argentina), Fluvial (Chile), FIMPRO (México), Indie Week (Canadá) e New Blood Competition (Reino Unido). Além disso, há uma negociação do CoMA com os eventos para que eles escolham artistas do festival brasiliense para compor os line-ups das respectivas produções.

O Indie Week, por exemplo, elegerá dois artistas do CoMA para a próxima edição no Canadá. “O que é mais importante do nosso ponto de vista é criar um espaço de network. Num momento em que não existe mais a força da gravadora, como elas tinham, os artistas precisam ser cada vez mais empresários e empreendedores. Então, o network é importante”, complementa André.

Atrações musicais

Na parte musical, o grande destaque é a presença da cantora Elza Soares, com a turnê do Deus é mulher. A artista fará um show com base no novo álbum e encabeça o line-up do festival se apresentando no sábado. No domingo, a presença mais aguardada é a do cantor Chico César. Mas, ao longo dos dois dias, nomes importantes de diferentes cenários da música brasileira se revezarão nos palcos do Complexo CoMA, montados no gramado da Funarte e também dentro do Clube do Choro e do Planetário. Estão confirmados nomes como Rincon Sapiência, Supercombo, Muntchako, Linn da Quebrada, Plutão Já Foi Planeta, Flora Matos, Marcelo Jeneci, Xênia França e Céu.

“O CoMA tem alguns nortes bem claros. Nós queríamos fomentar a música e a cultura nacional focando em artistas que participam do mercado de forma ativa e não só musicalmente. Também temos a missão de fomentar a cena de Brasília, que integra metade do line-up do festival”, revela Tomás Bertoni.

Elza Soares está entre as grandes atrações do CoMA e se apresenta no sábado(foto: Objetiva Comunicação/Divulgação)
Elza Soares está entre as grandes atrações do CoMA e se apresenta no sábado (foto: Objetiva Comunicação/Divulgação)


Programe-se

Pré do Slap — Festa de abertura do CoMA
• Estádio Nacional de Brasília Mané Garrincha. Amanhã, às 22h. Com Gabi Buzzi, DJs set das bandas (Far From Alaska, Supercombo, Plutão Já Foi Planeta), Rashid, Chicco Aquino vs A e Mari Perelli. Entrada a R$ 40. Não recomendado para menores de 18 anos.


Conferências do CoMA
• Centro de Convenções Ulysses Guimarães. De amanhã a domingo, a partir das 11h. Na sexta-feira, painéis sobre games, com nomes como Christopher Kastedsmith, Suâmi Abdalla, Philippe Alves Lepletier e Larissa Rios. Entrada gratuita. No sábado e domingo, painéis sobre o mercado musical, com nomes como Martin Atkins e Juliano Polimeno. Passaporte Conferência + Festival a R$ 150 (2º lote). Não recomendado para menores de 18 anos.


Shows do CoMA
• Complexo CoMA. Sábado e domingo, a partir das 15h. No sábado, shows de Supercombo, Rincon Sapiência, Attoxxa e Elza Soares. No domingo, shows de Flora Matos, Plutão Já Foi Planeta, Linn da Quebrada, Céu e Chico César. Entradas a R$ 25 (meia) e R$ 50 (inteira). Valor por dia e referente ao primeiro lote. Assinantes do Correio pagam meia-entrada. Não recomendado para menores de 18 anos.

 

Três perguntas // Rashid

 

Você estará em Brasília na festa de abertura do CoMA. O que o público pode esperar do show?

Estamos rodando com o disco Crise, então o repertório é baseado neste trabalho. Sempre gosto de temperar com algumas mais antigas, principalmente em lugares onde a gente costuma ir poucas vezes no ano, como Brasília. 

 

Você já vem com o repertório do disco novo?

Sim, quase todas as músicas do disco novo estão no repertório. Sentimos que esse disco bateu muito bem para o nosso público, então nos sentimos confortáveis para já levar esses sons para a estrada.

 

Como é a sua relação com o público de Brasília?

O público de Brasília costuma ser um dos mais ativos nas redes sociais, sempre pedindo por novidades e shows. Geralmente somos sempre muito bem recebidos na cidade também, espero que dessa vez seja igual ou melhor e que eu possa corresponder isso no palco.

 

 

 

Confira a programação 

 

 

 

 

 

 

 

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade