Publicidade

Correio Braziliense

Aretha Franklin está 'gravemente doente', informa imprensa dos EUA

A cantora vencedora de 18 prêmios Grammy foi diagnosticada com câncer em 2010


postado em 13/08/2018 11:32 / atualizado em 13/08/2018 12:04

(foto: Dimitrios Kambouris/Getty Images/AFP)
(foto: Dimitrios Kambouris/Getty Images/AFP)
Preocupa o estado de saúde de uma das principais vozes da música. Aretha Franklin, que completou 76 anos em março, está gravemente doente em Detroit (Michigan, Estados Unidos), informa o jornalista Roger Friedman, no site showbizz 411.

Outro repórter Harry Hairston também confirmou a notícia sobre o estado de saúde da cantora. Pelo Twitter, o jornalista informou que um amigo próximo à família de Aretha disse que ela "não anda nada bem". 
 

A cantora foi diagnosticada com câncer em 2010. Após fazer um tratamento contra a doença, a diva da soul music voltou aos palcos no ano seguinte, mas teve que cancelar diversos shows desde então. 
 
A última apresentação ocorreu em novembro de 2017, na Fundação Elton John contra a Aids, em Nova York. À época, já enfrentava problemas. Friedman afirma que a apresentação foi um “milagre”, já que ela lutava contra desidratação e exaustão. O jornalista completa a informação relatando que a família dela pede por orações e por privacidade.
 

Rainha do soul

São numerosos os títulos atribuídos a Aretha Franklin. Entre eles, o de rainha do soul, gênero que funde música gospel com o rhythm and blues. A impulsão do soul é atribuída a Ray Charles, artista que divide com Aretha o pódio de maiores vozes da história da música, segundo ranking da revista Rolling Stone de 2008. A cantora aparece em primeiro na lista.

Vencedora de 18 estatuetas do Grammy, Aretha é responsável por canções icônicas, entre elas Respect (1967; quinta melhor música de todos os tempos, segundo eleição da Rolling Stone), I say a little prayer (1968), (You makeme feel like) A natural woman (1968), Day Ddreaming (1972), Jump to it (1982), Freeway of love (1985) e A rose is still a rose (1998).

Em 1987, tornou-se a primeira mulher a fazer parte do Salão da Fama do Rock and Roll, reconhecimento dado a artistas, produtores e pessoas que de alguma forma marcaram a indústria do rock e do pop.
 
 

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade