Publicidade

Correio Braziliense

'Uma terra imaginada' fatura leopardo de ouro em Locarno

O Leopardo de Ouro foi para o filme Uma terra imaginada, do realizador Zeo Siew Hua, de Singapura, sobre a situação naquele país dos trabalhadores imigrantes vindos dos países vizinhos


postado em 13/08/2018 17:53

Yeo Siew Hua diretor de 'Uma terra imaginada'(foto: LUSA/Notícias Minuto/Reprodução )
Yeo Siew Hua diretor de 'Uma terra imaginada' (foto: LUSA/Notícias Minuto/Reprodução )
Locarno - Vai terminando o 71° Festival Internacional de Cinema de Locarno e aparecem algumas surpresas: nenhum prêmio para o longo filme de 14 horas, A Flor, de Mariano Llinás, e nenhum prêmio para Sibel, o filme sobre uma comunidade conservadora turca, do casal francoturco Guillaume Giovanetti e Çagla Zencirci, sobre intolerância, considerado um dos melhores filmes pela crítica.

O Leopardo de Ouro foi para o filme Uma terra imaginada, do realizador Zeo Siew Hua, de Singapura, sobre a situação naquele país dos trabalhadores imigrantes vindos dos países vizinhos.

O Prêmio Especial do Júri foi para o filme choque da competição internacional - M, maiúsculo, de Yolande Zauberman, relatando casos de abusos sexuais e de pedofilia por religiosos e rabinos ortodoxos em Bnei Brak, Israel.

A Melhor Realização foi atribuída à chilena Domingas Sotomayor pelo filme, Tarde para morrer jovem, sobre uma comunidade perto de Santiago do Chile.

Melhor Atriz foi para a romena Andra Guti, no filme Alice T., de Radu Muntean, no qual representa uma adolescente agressiva.

Melhor Ator foi para o coreano do sul Ki Joobong, no filme de Hong Sangsoo, Hotel à Beira do Rio, um poeta conhecido que reencontra seus dois filhos adultos, ao se sentir próximo da morte.

Rui Martins, do Festival Internacional de Cinema de Locarno.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade