Publicidade

Correio Braziliense

"O protetor" e "Abrindo o armário" são os destaques no cinema esta semana

Suspense e diversidade marcam as estreias desta quinta


postado em 16/08/2018 07:30 / atualizado em 15/08/2018 19:06

Denzel Washington volta a viver Robert McCall na telona(foto: Internet/Divulgação)
Denzel Washington volta a viver Robert McCall na telona (foto: Internet/Divulgação)

 

 

 

 Após quatro anos Denzel Washington volta a interpretar o ex-oficial das forças especiais americanas, Robert McCall, em O protetor 2. Se no primeiro filme, estreado em 2014, a trama era resgatar a jovem Teri (Chloë Grace Moretz), agora, o desafio pessoal de McCall é achar o assassino de uma grande amiga. Com Pedro Pascal, Melissa Leo e Bill Pullman no elenco e direção de Antoine Fuqua, a franquia entra hoje em cartaz nos cinemas de todo o país.


Além da busca por um assassino à solta, McCall também trabalha como motorista de aplicativo de transporte, e acaba criando vínculos com alguns dos passageiros e os defendendo de situações perigosas. Quem gostou do primeiro filme, pode esperar o mesmo caminho, com cenas de violência, pancadaria e velocidade, e a atuação impecável do premiado Denzel Washington.

De acordo com os dados divulgados na San Diego Comic-Con, a sequência liderou a bilheteria dos cinemas norte-americanos, o que gerou lucro de US$ 35 milhões por lá, garantindo posição à frente do esperado Mamma Mia! Lá vamos nós de novo, que obteve US$ 34 milhões.

Diversidade

A aprovação do casamento entre pessoas do mesmo sexo, no início do segundo semestre de 2015 nos Estados Unidos, foi o gatilho para inspirar os diretores Dario Menezes e Luis Abramo a criar o documentário Abrindo o armário, que estreia hoje nos cinemas e é uma parceria entre Cinemark e Elo Company.

“Era algo simbólico, relevante. Era o movimento gay, seus representantes e militantes botando a cara de fora. Entre conquistas, haviam registros de derrotas, preconceitos, números assustadores de violência e assassinatos. Mas, parando para pensar, era inegável: houve um avanço fabuloso desde o início dos anos 1970”, conta Menezes.
 
"Abrindo o armário" é um documentário sobre aceitação (foto: Elo Company/Divulgação)


E é exatamente isso que o longa-metragem mostra. Com depoimentos de 16 personagens, sejam eles famosos como Linn da Quebrada, Viper Venomenous e João Silvério Trevisan, sejam eles anônimos, cada um traz um pouco de como foi a aceitação interna e externa da sexualidade. Há histórias positivas e de aceitação, mas também de luta e resistência contra o preconceito e as violências sofridas por pessoas de diferentes gerações.

“Sentimos que seria muito importante não defender uma tese e sim fazer um recorte, mostrando a opinião de pessoas que você pode encontrar na rua, na família, na escola, no trabalho. A questão de optar pelo título simboliza para nós, não só a possibilidade do movimento de saída para alguém que esteja dentro do armário. Mas também, e principalmente, para que quem esteja do lado de fora do armário possa ver que lá dentro existem pessoas sensíveis, interessantes, talentosas, que precisam ser vistas, compreendidas e respeitadas”, completa o diretor.



Outras estreias


De carona para o amor
Jocelyn (Franck Dubosc) é um empresário bem-sucedido e acostumado a aproveitar todos os privilégios que o dinheiro tem a oferecer. Um dia, ele começa a fingir ser cadeirante para seduzir uma bela enfermeira (Alexandra Lamy). O que a princípio parecia fácil para o experiente mentiroso, acostumado a agir de forma egoísta e duvidosa, torna-se uma manobra complicada.


A outra mulher
Casado e apaixonado pela mulher, Daniel (Daniel Auteuil) se encontra diante de um problema ao conhecer a nova namorada de um amigo. O homem começa a fantasiar sobre a parceira do colega e, apesar do amor pela cônjuge, ele não consegue deixar o desejo pela outra mulher de lado. 


Christopher Robin - Um reencontro inesquecível
Christopher Robin, o grande companheiro de aventuras de toda a turma do Ursinho Pooh, cresce com o passar dos anos e se esquece dos amigos de infância. Agora um homem de negócios, muito diferente do que um dia foi, ele se sente perdido e confuso. Os adoráveis bichinhos do Bosque dos 100 Acres unem-se, então, para ajudá-lo a se lembrar do passado.


Tudo é irrelevante, Hélio Jaguaribe
O documentário mostra o legado de Hélio Jaguaribe, um dos maiores cientistas políticos do Brasil. A luta de Hélio por uma sociedade mais justa e igualitária é mostrada na produção, que conta com narração de Fernanda Montenegro.


Mentes sombrias
Adolescentes na América tentam sobreviver num cenário distópico tomado por uma pandemia. Com índices alarmantes de mortalidade infantil, os 2% sobreviventes desenvolvem habilidades especiais. 


Troca de rainhas
Em meio ao cenário pós-guerra entre França e Espanha, em 1721, Philippe d'Orléans (Olivier Gourmet), regente do reino francês, sugere uma solução para alcançar a paz entre os dois países. Ele propõe uma troca entre de princesas: a francesa Mademoiselle de Montpensier se casa com o herdeiro do trono espanhol. Enquanto isso, o o francês Louis XV se casa com a infanta da Espanha, Anna Maria Victoria. 


Unicórnio
Maria (Bárbara Peixoto) e a mãe cuidam da casa e de uma plantação, juntas. O cotidiano da dupla é marcado pela esperança de que o pai da menina, que abandonou a casa, retorne. A vida das duas muda quando elas conhecem um criador de cabras da região.
 

 

 

 

 

 

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade