Publicidade

Correio Braziliense

Dois curtas do DF são selecionados para Festival Internacional em São Paulo

'Afronte' e 'O menino leão e a menina coruja' também estiveram no 50º Festival de Brasília do Cinema Brasileiro


postado em 21/08/2018 19:15 / atualizado em 21/08/2018 19:16

(foto: Luis Nova/Esp. CB/D.A Press)
(foto: Luis Nova/Esp. CB/D.A Press)
 
Dois curtas-metragens brasilienses emplacaram na seleção do 29° Festival Internacional de Curtas Metragens de São Paulo. Afronte, de Bruno Victor e Marcus Azevedo, e O menino leão e a menina coruja, de Renan Montenegro, fazem parte do catálogo que será exibido gratuitamente a partir de quinta-feira (23/8) até 2 de setembro em seis salas da capital paulista.

Os filmes foram selecionados na categoria Programas Brasileiros do Festival, a que concorreram 711 curtas-metragens. Ambos também estiveram no 50º Festival de Brasília do Cinema Brasileiro no último ano, de que Afronte saiu com três prêmios: melhor montagem pelo júri oficial; Prêmio Saruê, concedido pelo Correio Braziliense e menção honrosa pelo júri da mostra universitária.

No documentário com toques de ficção, os diretores Bruno e Marcus, recém-formados em audiovisual pela Universidade de Brasília (UnB), trabalham em cena o processo de empoderamento de um jovem negro, gay e periférico. O filme é protagonizado pelo estudante Victor Hugo, a quem o filme acompanha. Conquistou ainda o prêmio de melhor curta no Mix Brasil, também em São Paulo em 2017.

Também formado em audiovisual pela UnB, Renan Montenegro é responsável por O menino leão e a menina coruja, em que retrata seres com características humanas mescladas a de outros animais. Os seres híbridos estudam na Escola Filhote Selvagem quando crianças.

Ao todo, o evento exibirá 323 filmes de 53 países nas salas de cinema MIS, CineSesc, Cinemateca Brasileira, Espaço Itaú Augusta, Cinusp, CCSP, além de 17 espaços participantes do Circuito Spcine.

A 29ª edição do Festival Internacional de Curtas Metragens de São Paulo terá como tema "Em busca do tempo de agora". “Destacando filmes pautados em questões do presente, no Brasil e no mundo: deslocamentos humanos, comunicação digital, política, identidade, negritude, feminismo, memória e sexualidade”, explica a organização por meio de nota da assessoria.

A programação completa pode ser conferida aqui.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade