Publicidade

Correio Braziliense

Gilberto Gil e Natiruts se apresentam neste sábado no Na Praia

De acordo com a produção do Na Praia, o eterno tropicalista sobe ao palco às 19h, para mostrar clássicos de sua obra


postado em 25/08/2018 07:15

Gilberto Gil está na capital! Neste sábado (25/8), ele se apresenta no projeto Na Praia, numa programação que tem como outro destaque o Natiruts. Nas duas últimas vezes que Gil esteve em Brasília, ele dividiu a cena com outros grandes nomes da MPB. Em 3 de abril de 2015, ao lado de Caetano Veloso, fez o show Dois amigos e um século de música, no auditório máster do Centro de Convenções Ulysses Guimarães. Em 7 de outubro de 2016, se juntou a Gal Costa e Nando Reis, na homenagem a Ulysses Guimarães, no Teatro da Unip. Esse encontro gerou o espetáculo Trinca de ases.

De acordo com a produção do Na Praia, o eterno tropicalista sobe ao palco às 19h, para mostrar clássicos de sua obra. Logo em seguida é a vez da banda brasiliense levar ao público músicas do Indigo cristal, o CD mais recente, e antigos sucessos.

Ter o cantor e compositor baiano e o grupo candango numa mesma programação não é nada de inusitado — pelo contrário. Ambos possuem uma ligação artística com o ritmo originário da Jamaica. Em 2012, Gil lançou o CD e o DVD Kaya N’Gandaya com o qual homenageou Bob Marley, ídolo que serviu de referência e inspiração para o surgimento do Natiruts.

O que Gil traz para o brasiliense é um show no qual revisita clássicos de sua obra, como Andar com fé, A paz, Aquele abraço, Drão, Esperando na janela, Não chore mais, Palco, Toda menina baiana e Vamos fugir. A elas se junta a bela Prece, faixa de OK OK OK, seu novo álbum. O cantor tem a companhia de Magno Brito (baixo), Mestrinho (sanfona), Kainan (percussão) e dos filhos Bem Gil (guitarra), José Gil (bateria) e Nara Gil (backing vocal).

O Natiruts, liderado pelo cantor, compositor e guitarrista Alexandre Carlo, passeia por repertório que inclui os hits Liberdade pra dentro da cabeça, Presente de um beija-flor e Quero ser feliz também, além de Canção do vento, Emanando amor na escuridão e Força universal a nos conduzir, faixas do CD Indigo cristal.

Múltiplos projetos

Aos 76 anos, totalmente recuperado dos problemas de saúde com os quais conviveu por quase dois anos, Gilberto Gil está envolvido em múltiplos projetos, e sendo requisitadíssimo para apresentações no Brasil e no exterior. Recentemente cumpriu turnê pela Europa com o espetáculo Trinca de ases; comemorou os 40 anos do álbum Refavela; compôs todo o repertório do novo disco de Roberta Sá e acaba de lançar o CD OK OK OK.

Tem mais: estreou na terça-feira no Canal Brasil com o programa Amigos, sons e palavras (que teve Caetano Veloso como primeiro convidado), trabalha ao lado de Aldo Brizzi na criação da ópera Amor azul; e está compondo a trilha sonora de Gil, o novo espetáculo de dança Grupo Corpo, de Belo Horizonte.

Em coletiva de imprensa recente, no Rio de Janeiro, que teve a participação do Correio, Gil se ateve a questões diversas. Sobre a agenda recheada de compromissos, disse: “Tenho sido convidado para participar de diferentes projetos. Isso representa o reconhecimento de uma dimensão da minha existência na vida cultural brasileira; e tem sido possível pela reiteração da minha vitalidade e da capacidade de fazer coisas de que gosto, depois dos cuidados com a saúde”.

Na letra de OK OK OK, a canção que dá título ao novo trabalho, Gil fala dos questionamentos que lhes são feitos sobre seu posicionamento em relação ao atual momento da vida brasileira. 

Na entrevista, ele foi além: “A solicitação para que eu opine, para que eu me posicione, a respeito de questões pertinentes ao dia a dia do país, não é algo novo para mim. Já no começo da carreira, na época da ditadura, eu e outros astistas da minha geração fomos levados a fazer isso. No meu caso, muito pelo ímpeto espontâneo, mas também por responsabilidades sociais, como figura pública”.


Luau Koh Phangani
Show de Gilberto Gil e Natiruts pelo projeto Na Praia (Orla Norte do Lago Paranoá), neste sábado (25/8), às 19h, com abertura dos portões às 15h. Ingresso: R$ 151 (meia entrada). Não recomendado para menores de 16 anos. Informações: www.tevejonapraia.com.br.
 

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade