Publicidade

Correio Braziliense

Gêmeas brasilienses, Beatriz e Luíse Nogueira, dão show de atuação

A dupla marca presença em grandes produções nacionais


postado em 29/08/2018 07:30 / atualizado em 29/08/2018 10:27

(foto: Vanderlei Pereira Fotografias/Divulgação)
(foto: Vanderlei Pereira Fotografias/Divulgação)
 
O interesse pela atuação por parte das irmãs gêmeas Beatriz e Luíse Nogueira surgiu cedo. Ao assistirem ao musical Matilda, em Nova York, com apenas 6 anos, elas decidiram que também queriam se comunicar por meio do teatro. “A gente viu todas aquelas crianças lá atuando e ficamos chocadas. As peças de teatro musical transmitem muito otimismo e superção. Nos inpiram na vida real”, relembra Bia. Desde então, elas têm aulas. Para a mãe, Juliana Nogueira, a formação musical sempre foi prioridade. “Estudar música prepara para a vida”, ressalta. “Você vai precisar ter criatividade e saber improvisar. A música aguça os sentidos e deixa a pessoa mais presente”, completa.

As meninas engatam agora seus primeiros trabalhos profissionais, depois de três anos de apresentações de montagens acadêmicas na escola de teatro Empório Cultural. Luíse faz parte do elenco do musical Annie, adaptação brasileira do musical homônimo da Broadway, dirigido e estrelado por Miguel Falabella.

Ela dá vida à personagem Kate, e o espetáculo fica em cartaz em São Paulo até 27 de janeiro de 2019, no Teatro Santander, a partir de amanhã. “Eu estou muito ansiosa pela estreia”, revela Luíse. “Está sendo incrível.”

Enquanto isso, Beatriz estreia no cinema no longa Rir pra não chorar, de Cibele Amaral. Na fita, ela representa a personagem de Mariana Xavier (Minha mãe é uma peça) quando criança. “Eu tive aulas de teatro para me preparar e também fiz coaching com um amigo da minha mãe, o ator Sérgio Sartório”, conta Bia sobre a preparação para o longa.

A personagem vivia em Brasília nos anos 1980 e todas as gravações se passaram na capital. Em seu tempo livre, Bia não abre mão de praticar natação e assistir à Operação cupido, seu filme preferido. A dupla admite que, apesar de tudo, o que mais gostam de fazer é brincar, como qualquer outra criança. “Eu gosto de brincar e fingir que estou em uma peça, mas eu brinco de muitas coisas”, admite Luíse, entre boas risadas.

Para conciliar estudos e carreira, a mãe acredita que dar atenção à formação humana é fundamental. “Eu sempre digo para elas que os artistas conversam com a alma das pessoas, então, eu as ensino a perceber a arte para prestar atenção nas emoções, saber conversar com as pessoas e fazê-las sentir”, ressalta. As meninas estudam musicalização desde os 4 anos; Bia toca ukulele e piano, enquanto Luíse, piano e “um pouco de bateria”, como ela mesma define. Para Juliana, o segredo é estimular a música desde cedo e incentivar as crianças a apreciarem a arte ao redor.

*Estagiária sob supervisão de Igor Silveira


Na web
Você pode acompanhar o dia a dia das gêmeas Beatriz e Luíse Nogueira, no Instagram, pelos perfis @luise.nogueira e @abianogueira.
 
 
 
 

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade