Publicidade

Correio Braziliense

'Sou a favor do aborto por princípio', afirma Carolina Ferraz

Atriz esclareceu em entrevista a Leda Nagle que defende a legalização do aborto, mas que, pessoalmente, não é a favor do ato


postado em 05/10/2018 13:14 / atualizado em 05/10/2018 13:14

Para Carolina Ferraz a questão da legalização do aborto é de saúde pública(foto: Ramon Vasconcelos/TV Globo)
Para Carolina Ferraz a questão da legalização do aborto é de saúde pública (foto: Ramon Vasconcelos/TV Globo)
 

 

A atriz Carolina Ferraz se posicionou a favor da legalização do aborto em entrevista ao canal de Leda Nagle no YouTube nesta semana. Ela ainda aproveitou para contar a experiência traumática que passou ao fazer uma cesariana.

"Eu sou a favor do aborto por princípio. Principalmente quando você pensa no sistema de saúde de um país como o Brasil. O aborto é proibido. Uma parte das pessoas que se submetem a fazer um aborto, se não tem uma situação financeira razoável, está correndo grave risco de vida", explicou.

Segundo ela, a motivação para sua posição é pensando nas pessoas mais pobres: "Sou uma humanista, quero deixar claro. Minha decisão em ser a favor do aborto é pensando na saúde da mulher que se submete àquilo sem condições".

"Uma pessoa de uma classe financeira um pouco melhor, ela vai. Hoje em dia todo mundo vai no hospital e faz, é ilegal eu não sei como. A gente conhece várias amigas (que fizeram aborto)", disse Carolina.

A atriz ainda garante que, mesmo defendendo a legalização, não defende o ato em si: "Eu, Carolina, não faria um aborto. Mas nunca passei por essa situação também, entende. Mas acho que é um direito da mulher, é com ela, ela que sabe", afirmou.

Carolina também falou sobre a gestação de sua filha mais nova, Isabel, quando tinha 47 anos de idade: "Passei muito bem na gravidez, mas o pós foi muito ruim. Odiei fazer a cesariana, uma das experiências mais traumáticas que eu já tive."

"Não há nada natural. Saí da sala de parto ainda grávida de nove meses, engordei 19 quilos e meio, fiz tratamento e tomei muito hormônio. Até hoje, três anos depois, eu estou quase voltando ao que era antes."

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade