Publicidade

Correio Braziliense

Caetano Veloso: não somos uma família de música, mas músicos de família

Caetano Veloso canta ao lado dos filhos Moreno, Zeca e Tom em show que predomina repertório do patriarca


postado em 01/12/2018 06:30

Caetano e os filhos vão mostrar canções como 'Alegria Alegria'
Caetano e os filhos vão mostrar canções como 'Alegria Alegria'

 
O clã dos Veloso é a principal referência de Ofertório, show de Caetano, Moreno, Zeca e Tom que se mantém na estrada desde outubro de 2017 e os traz de volta a Brasília hoje, para apresentação às 21h, no auditório master do Centro de Convenções Ulysses Guimarães. O eterno tropicalista deixou isso bem claro ao afirmar: “Creio que não somos uma família de músicos, como tantas, dado o caráter comprovadamente genético do talento musical, mas seguramente somos músicos de família”.

Quem se detém a observar as letras das canções reunidas no roteiro do espetáculo —  registrado em DVD —  vai perceber o quão recorrentes são as citações e as reverências feitas a membros da família originária de Santo Amaro da Purificação, no Recôncavo Baiano.

Já em Boas-vindas, a terceira música do repertório, Caetano canta: “Sua mãe e eu/ Seu irmão e eu/ E a mãe do seu irmão/ Meus irmãos e eu/ Minha mãe e eu/ E os pais da sua mãe/ E a irmã da sua mãe..”. Na lado B Genipapo absoluto, ele diz: “..Meu pai, seu tanino, seu mel/ Prensa, esperança, sofrer prazeria/ Promessa, poesia, Mabel (uma das irmãs, educadora, escritora e compositora, que morreu, aos 81 anos, em 26 de outubro de 2011) ...Tudo são trechos que escuto —  vêm dela/ Pois minha mãe é minha voz...”

A até então inédita Ofertório — que dá título ao show e ao DVD — foi composta por Caetano, em 1997, para a missa em ação de graças pelo aniversário da mãe, Dona Canô, celebrada na igreja Nossa Senhora da Purificação. A religiosa matriarca é lembrada também no clássico Reconvexo: “...Quem não rezou a novena de Dona Canô?”. Do LP Bicho, de 1977, Caetano trouxe para o show Gente, que, na letra, faz alusão aos irmãos Rodrigo e Roberto e ao filho Moreno.

No set list de Ofertório há a assinatura dos rebentos em algumas faixas. Moreno Veloso, que pediu ao pai para incluir a marchinha Alegria, alegria (quarta colocada no Festival de Record de 1967, que alavancou a carreira de Caetano), compôs ainda na infância Um canto de afoxé para o bloco do Ilê. São também de autoria dele De tanto voltar (com Domenico Lancellotti), Ninguém viu e Um passo à frente — nas quais tem Quito Ribeiro como parceiro.

Além do sucesso Todo homem (tema de abertura da série televisiva Onde nascem os fortes), Zeca Veloso compôs com o pai para o espetáculo Você me deu; enquanto o irmão mais novo, Tom, fez sozinho Clarão; e Um só lugar, que tem letra de César Mendes, poeta santo-amarense muito próximo da família Veloso e a quem o DVD é dedicado.

Com emoção, Caetano reverencia o artista plástico Hélio Eichbauer, falecido em 20 de julho e criador do cenário de Ofertório e padrasto de Moreno: “Tudo se deve tanto a Hélio Eichbauer que nem sei como agradecer a ele. Seu silêncio atento no ensaio, o deslumbramento da família quando as maquetes surgiram acompanhadas de observações profundas ditas em tom despretensioso. Desde O rei da vela, Hélio tem sido uma força secreta (embora agindo no visível) na construção da civilização brasileira. E neste Ofertório ele nos deu tudo de presente”.


SERVIÇO
Ofertório
Show com Caetano, Moreno, Zeca e Tom Veloso hoje, às 21h, no auditório máster do Centro de Convenções Ulysses Guimarães (Eixo Monumental). Ingressos: R$ 100 (poltrona superior), R$ 140 (poltrona especial B), R$ 160 (poltrona especial A), R$ 180 (poltrona vip lateral), R$ 250 (poltrona vip) e R$ 1.500 (sofá com quatro lugares e mesa de centro) —  valores referentes a meia entrada. Pontos de venda: G2 do Brasília Shopping, Conjunto Nacional (térreo), Pátio Brasil (3º piso) e pelo site www.bilheteria digital.com. Os primeiros 200 assinantes do Correio têm direito a 55% de desconto no ingresso de inteira.

Entrevista// Caetano Veloso

No texto de apresentação do Ofertório, que ainda não tinha esse nome, você dizia que o encontro com Moreno, Zeca e Tom representava a celebração da alegria. Depois de várias apresentações no Brasil e na Europa, acha que isso se potencializou?
Sim. As diferentes plateias em lugares variados me deram mais certeza da luz que há em nosso espetáculo. Eu a vejo desde que o imaginei. Com tudo ensaiado, eu a via com mais nitidez: mesmo que ninguém percebesse, eu sabia que ela está ali. Mas compartilhar essa experiência com públicos que sintonizam é místico.


Impressiona a desenvoltura dos três no palco, tocando, cantando e dançando —  no caso de Moreno e Tom. Imaginava que a performance de Zeca, usando falsete, seria tão arrebatadora?
Desde que ouvi Todo homem, cantada por Zeca em casa, achei que essa canção, com essas notas e essas palavras —  no timbre celestial de Zeca —, chegaria ao coração de multidões. Faço força agora pra Zeca sambar à moda carioca (ele é o único de nós quatro que sabe fazer isso). Curiosamente, Zeca é o único nascido no Rio. Moreno, Tom e eu somos baianos de nascimento. Mas Zeca raramente samba um pouquinho. Vou me esforçar em Brasília.

O que achou da acolhida em Brasília, onde você tem uma legião de fãs, ao show?
Adorei a reação da plateia brasiliense. Espero que desta vez seja ainda melhor, como tem sido em todas as cidades brasileiras que tivemos de revisitar. É que o show amadureceu, nós estamos mais habituados a fazê-lo e as coisas todas ficam mais claras.

Como Ofertório foi recebido pelos europeus?
Surpreendentemente bem. Há muitos brasileiros em Londres e em Paris (embora nesta última a plateia fosse 50% francesa), mas quase não há brasileiros em Catanzzaro, na Calabria. Em todos esses lugares tão diferentes, as plateias se mostraram encantadas. Isso nos surpreendia e maravilhava.

Que expectativa faz em relação à turnê pelos Estados Unidos?
Espero que seja tão boa quanto foi na Europa e no Brasil. Para mim, só tocar e cantar com eles já é uma delícia. Se plateias variadas em cidades americanas gostarem e reagirem bem, celebrarei.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade