Publicidade

Correio Braziliense

Com lançamento em 2019, Aruanas é thriller sobre preservação ambiental

Com Camila Pitanga, Leandra Leal, Taís Araújo e Débora Falabella no elenco, a produção fala de ativismo


postado em 07/12/2018 14:14

Deborah Falabella, Leandra Leal, Camila Pitanga e Taís Araújo estarão em Aruanas, série que a Globo Play lança ano que vem(foto: Gshow/Reprodução)
Deborah Falabella, Leandra Leal, Camila Pitanga e Taís Araújo estarão em Aruanas, série que a Globo Play lança ano que vem (foto: Gshow/Reprodução)
 

 

São Paulo - O serviço Globoplay, da Rede Globo, tem investido pesado na produção de séries originais. Depois se Assédio e Ilha de Ferro, destaques deste ano, a plataforma anunciou para 2019 a estreia de Aruanas, série sobre preservação ambiental e ativismo na Amazônia.


A produção teve um painel nesta sexta-feira (7/12) na Comic Con Experience com presença das protagonistas Débora Falabella, Leandra Leal, Camila Pitanga e Taís Araújo ao lado do diretor Carlos Manga Jr. e dos autores Marcos Nisti e Estela Renner. O objetivo era apresentar a trama ao público.

Um projeto iniciado em 2010, Aruanas estreia em 2019 na Globoplay e vai acompanhar a história da ONG Aruanas, criada pela jornalista Nataly (Débora Falabella), pela advogada Verônica (Taís Araújo) e pela ativista Luísa (Leandra Leal). Nesse contexto, a série vai retratar os desafios na vida dessas ativistas.

"A nossa inspiração foi falar do dia a dia das ONGs, como o Greenpeace. Aruanas é o nome da ONG da série e quer dizer guerreiras. Essas mulheres são as sentinelas da natureza pelos direitos indígenas e pela preservação do meio ambiente", revela Estela, autora, diretora e uma das idealizadora da produtora parceira do Globoplay na produção.

Antes de o elenco falar da produção, o primeiro trailer de Aruanas foi exibido e mostrou um thriller eletrizante com muita ação, assassinatos, prostituição e debate da preservação ambiental. "Tem um assunto que é relevante, a preservação da Amazônia, da vida, mas além disso tem um texto incrível e as histórias pessoais de cada uma", garante Taís Araújo.

"Essas quatro mulheres são apaixonadas pelo trabalho e correm risco de vida. O Brasil é o país que mas mata ativistas. Então essa série é uma paixão e uma urgência. É o cruzamento da minha missão de vida, que é a arte e o ativismo", afirma Leandra Leal. 

Personagens e dramas


Cada uma das atrizes aproveitou para falar um pouco das personagens. Leandra Leal vive Luísa, uma ativista que vive o dilema entre criar o filho e trabalhar. "Ela é aquela que tá na frente, no campo. Faz as cenas de ação", conta.

Débora Falabella interpreta a jornalista Nataly, que abre espaço para as pautas da ONG. "O legal dessa série é que a gente não está infeliz com o marido, mas o trabalho", analisa.

Taís Araújo vive a advogada Verônica. "Ela faz advoca-se, que é um lobby do bem, em favor de uma causa. Um dos conflitos dela é ter há um ano um caso com o marido de Nataly", adianta.

Já Camila Pitanga é a advogada Olga, a antagonista do trio. "Ela quer destruir a Amazônia. É uma advogada bem nascida, que tem grana e gosta do capital. Ela defende a acumulação de riqueza. Ela é uma cobra. Gosta de manipular e é bem misteriosa", explica a atriz.

Sem data certa para lançar, Aruanas já está com a segunda temporada confirmada, como revelou Camila Pitanga.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade