Publicidade

Correio Braziliense

Com Rodrigo Suricato nos vocais, Barão Vermelho voltará às inéditas

Disco deve ser lançado ano que vem, com a sonoridade que marcou a carreira do Barão Vermelho


postado em 16/12/2018 07:15 / atualizado em 15/12/2018 18:13

Barão Vermelho lança disco de inéditas em 2019(foto: Leo Aversa/Divulgação)
Barão Vermelho lança disco de inéditas em 2019 (foto: Leo Aversa/Divulgação)

 

No ano passado, o cantor Rodrigo Suricato, conhecido pela banda Suricato, que fez sucesso no reality show Superstar, assumiu os vocais do grupo Barão Vermelho, substituindo Frejat. O convite veio após uma turnê ao lado de Maurício Barros, da formação original do grupo, e de outros artistas do cenário do rock no projeto Viva Rock Brasil.

 

“O projeto percorreu o Brasil com oito shows gratuitos sendo visto por 200 mil pessoas. Maurício me viu em cena, ficamos muito amigos e ele me perguntou se eu poderia assumir os vocais com a saída do Frejat. Fiquei muito orgulhoso, porque o Barão Vermelho é minha banda predileta”, lembra.

 

A partir de então, saiu em turnê com o grupo, inclusive esteve na edição de 20 anos do Porão do Rock neste ano em Brasília, e lançou um disco com regravações dos clássicos do grupo. “Conheço toda a discografia, tanto que, no primeiro ensaio, saí cantando 19 músicas de cara. Eu tinha tudo decorado. Eu brinco que eu já era Barão Vermelho, só eles não sabiam”, conta o artista.

 

Recentemente, Suricato assumiu mais um desafio: ajudar a produzir um disco de inéditas do Barão Vermelho. O primeiro single do projeto foi lançado em novembro. É a faixa A solidão te engole vivo, de composição de Guto Goffi, Fernando Magalhães e Maurício Barros. “Apesar de a canção ser composta por eles, eu me sinto diretamente participando dela, uma vez que o arranjo da música e toda a construção dela passa pelo meu DNA”, explica Rodrigo Suricato.

 

DNA do Barão

 

Um ponto interessante do single é que se mantém fiel à sonoridade do Barão. “Estou feliz de as pessoas reconhecerem esse DNA do Barão. Não existe uma preocupação (em manter a sonoridade), existe uma intenção de deixar o Barão Vermelho ser o que é, uma vez que os dois fundadores continuam na banda. Eles escrevem, produzem, compõem, então, a banda continua tendo um núcleo criativo”, afirma.

 

Suricato ainda destaca que, do som original e característico, estão as guitarras distorcidas e, da composição, as letras bonitas. “Acho que a diferença é ter agora uma pegada um pouco mais pop, algo que está no DNA do Maurício, assim como no meu”, completa.

 

O disco completo está previsto para ser lançado em 2019. O material será formado por 12 canções. “Tem essa pegada do rock, com letras bonitas e inteligentes, e, como falei, com uma levada um pouco mais pop”, anuncia.

 

Projeto paralelo

Apesar de ter assumido os vocais do Barão Vermelho, Rodrigo Suricato não abandonou o projeto do Suricato. Pelo contrário, ele tem produzido para o grupo paralelamente. “Essa foi a minha primeira condição, eu disse que não queria optar pela minha carreira ou pelo Barão Vermelho”, lembra.

 

No ano que vem, Rodrigo Suricato também lançará um álbum do Suricato. Esse é o terceiro disco do projeto, que chegará às plataformas em fevereiro. “É meu núcleo criativo. Nesse disco, eu produzo e toco tudo sozinho. Estarei em 2019 com esse terceiro álbum e o Barão, antes do CD, ainda lançará mais dois singles”, revela.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade