Publicidade

Correio Braziliense

Breno e Caio Cesar, Lauana Prado e Márcia Fellipe encerram o ano em alta

Os artistas movimentaram o cenário do sertanejo e do forró


postado em 19/12/2018 07:30 / atualizado em 19/12/2018 11:58

Da composição para a ingterpretação, Lauana Prado se tornou um dos destaques do sertanejo feminino(foto: Universal Music/Divulgação)
Da composição para a ingterpretação, Lauana Prado se tornou um dos destaques do sertanejo feminino (foto: Universal Music/Divulgação)


A cada ano, a música sertaneja — e, agora, o forró também, após a aproximação dos dois ritmos, no chamado forrónejo — revela novos nomes em ascensão. Em 2018 não foi diferente. Artistas que já estavam no mercado conseguiram espaço ao apostarem em novidades.

Esse foi o caso dos irmãos gêmeos Breno e Caio Cesar. No mundo da música desde a adolescência influenciados por nomes como Bruno & Marrone e Zezé di Camargo & Luciano, os paulistas lançaram neste ano o DVD No sofá da sala, com a presença de famosos como Léo Santana, Marília Mendonça, Dilsinho e Luan Santana e viram as músicas estourarem nas plataformas digitais. “Foi um ano em que amadurecemos muito e conseguimos passar essa mensagem ao público, principalmente aos que nos acompanham desde cedo”, explica Caio Cesar.

Já se preparando para 2019, a dupla lançou o single Deixa eu te chamar de amor em novembro. A música, que se aproxima do brega-funk de Aldair Playboy e MC Bruninho, já tem mais de 6 milhões de visualizações no YouTube e coloca os sertanejos em destaque para os próximos lançamentos. “Vamos começar com tudo, com vários lançamentos, um atrás do outro, sem muito intervalo. Já estamos preparando as músicas, algumas terão participações também. Estamos ansiosos para 2019”, afirma Breno.

Para os dois, a força do sertanejo tem a ver com a união dos artistas e também com a mistura de ritmos. “O sertanejo vem se mantendo e crescendo a cada dia sem parar, devido aos cantores e duplas se ajudarem muito. Essa mistura das artes faz com que o sertanejo se mantenha sempre no auge”, avalia Caio Cesar.






Mulherada em alta

Após se tornar famosa como compositora de sucessos nas vozes de grandes nomes do sertanejo, a cantora Lauana Prado agora também se destaca como intérprete. Para coroar esse bom momento, ela lançou o primeiro DVD da carreira, o álbum que ganhou o título Verdade (Ao vivo). “Há pelo menos quatro anos como compositora, vi a possibilidade de me projetar como artista. Muitos artistas enfrentaram as mesmas dificuldades que eu, mas nomes como Marília Mendonça e Zé Neto & Cristiano mostraram que vale a pena lutar por isso para trilhar e construir um caminho dessa maneira (da composição para a interpretação)”, avalia Lauana Prado.

Gravado em São Paulo, o material traz 10 faixas, sendo sete inéditas e três regravações, entre elas, os hits Cobaia e Serasa. A maneira dela, a cantora trouxe uma sonoridade que bebe da fonte de outros ritmos. “A gente teve muito cuidado para trazer um frescor para a música sertaneja. É um ritmo com muitos artistas consagrados. Então, nosso propósito era trazer algo totalmente novo, com uma sonoridade que não fosse parecida com a de ninguém, trazer uma diversidade”, revela a goiana.

Com nomes como Ana Carolina, Roberta Miranda, Ivete Sangalo e Lady Gaga como referência, Lauana Prado espera rodar o país em 2019 com o repertório do DVD. Para isso, a artista aposta no single Melhor saída, que faz parte do álbum. “Essa música é o nosso próximo passo, vamos organizar o trabalho em torno dela”, revela.

Sobre a força das mulheres no sertanejo, ela afirma: “Primeiro, é uma honra muito grande (fazer parte do time de mulheres no ritmo). Na música sertaneja temos encontrado esse time seleto que está se ampliando. Então, é muita responsabilidade para quem vem depois. Por isso faço questão de trazer algo que some e agregue”.

Mistura de ritmos

Márcia Fellipe começou a carreira na raiz do forró, com passagens por bandas como Aviões do Forró e Garota Safada. Depois, a artista ficou um período afastada e voltou ao cenário exatamente quando o forrónejo explodiu. “Sempre busco cantar música de todos os estilos. Pagode, funk e sertanejo com o forró. Temos colocar de tudo um pouco”, conta.

Esse mix de ritmos, inclusive, é uma das principais características do novo trabalho de Márcia, o DVD Made in studio. Formado por 12 faixas, o material conta com Jerry Smith (Quem me dera), Ferrugem (Tá difícil) e Xand Avião (Adivinha) representando os diferentes estilos musicais do momento. Essa é a primeira parte do material, que terá um segundo volume com participação de Dilsinho e Gusttavo Lima, como adianta a cantora.

Gravado em formato intimista, o DVD tem desde músicas românticas até aquelas mais agitadas. Antes mesmo do lançamento no último dia 12, uma música já tinha estourado e promete continuar a fazer sucesso no verão, o hit Quem me dera, que tem a pitada do funk de Jerry Smith. “Olha, a gente sempre fica na torcida (pelo sucesso da música). Estou feliz que estão acolhendo bem. Eu sempre fiz isso de misturar tudo mesmo, tenho essa identidade e não fico me limitando de fazer só o feijão com o arroz. Gosto de expandir e ter essa experiência com outros ritmos, tanto que falam que eu faço um forró pop”, completa.


SERVIÇO



No sofá da sala
De Breno e Caio Cesar. Som Livre, 15 músicas. Disponível nas plataformas digitais.



Verdade (Ao vivo)
De Lauana Prado. Universal Music, 10 faixas. Disponível nas plataformas digitais.



Made in studio
De Márcia Fellipe. Universal Music, 12 faixas, Disponível nas plataformas digitais.

 

 

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade