Publicidade

Correio Braziliense

Morre o escritor iconoclasta alemão Edgar Hilsenrath

Autor de 'O nazista e o barbeiro: uma história de vingança', ele faleceu devido a uma pneumonia, aos 92 anos


postado em 01/01/2019 11:52

(foto: Wikipedia/Reprodução)
(foto: Wikipedia/Reprodução)

O escritor alemão Edgar Hilsenrath, autor, entre outros, do livro iconoclasta "O nazista e o barbeiro: uma história de vingança", faleceu devido a uma pneumonia, aos 92 anos, anunciou o seu editor francês nesta segunda-feira (31).

"Edgar Hilsenrath nos deixou. Quem pode reivindicar mais humor e compreensão da espécie humana do que este escritor inclassificável? Obrigado por tudo o que nos deu para ler e viver, Edgar", indicou Le Tripode em sua conta no Facebook.

Nascido em 1926 em Leipzig, na Alemanha, em uma família de comerciantes judeus, Edgar Hilsenrath sobreviveu ao nazismo se exilando com seus pais em julho de 1938 em um gueto na Romênia, onde seus avós moravam. Deportado em 1941 para outro gueto, este na Ucrânia, o Exército Vermelho o salvou em 1944.

No final da guerra, voltou à Romênia, de onde foi para o Território Palestino. Posteriormente voltou à Europa, antes de se instalar nos Estados Unidos em 1951, onde viveu 25 anos, mas sem se adaptar.

Ganhava a vida com pequenos trabalhos e começou a escrever, em alemão, o fruto de suas experiências.


Em 1964 publicou "Night: A novel", seu primeiro romance. Mas seu editor alemão, preocupado com a causticidade de sua caneta e o humor satírico que já caracterizava sua obra, preferiu sabotar a publicação do livro. Traduzido para o inglês, apareceu nos Estados Unidos em 1966 e se tornou um best-seller, vendendo cerca de 500.000 cópias.

Mas Edgar Hilsenrath, que voltou em 1957 à Alemanha, era um autor indesejável em seu país.

Às vezes considerado uma obra-prima, "O nazista e o barbeiro", um livro que fala do Holocausto em um estilo satírico e burlesco, foi publicado com sucesso nos Estados Unidos em 1971 e na Alemanha em 1977. "Night" voltou a ser publicado na Alemanha em 1978.

Autores como Heinrich Böll e Günther Grass celebraram a obra de Edgar Hilsenrath.

Em 1989 recebeu a recompensa literária alemã mais prestigiada: o prêmio Alfred-Döblin por seu livro "The Story of the Last Thought", no qual compara o genocídio armênio ao Holocausto.

Também são suas obras "Orgasm in Moscow" (1979) e "Fuck America" (1980).

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade