Publicidade

Correio Braziliense

Beyoncé sofre processo por falta de acessibilidade para cegos em site

Mulher cega de Nova York afirma que encontrou 'diversos obstáculos' para consumir serviços da cantora


postado em 04/01/2019 17:20 / atualizado em 04/01/2019 17:20

A cantora, ou a equipe de produção gráfica, ainda não se pronunciaram sobre polêmica(foto: Kevin Winter/Getty Images for Coachella/AFP)
A cantora, ou a equipe de produção gráfica, ainda não se pronunciaram sobre polêmica (foto: Kevin Winter/Getty Images for Coachella/AFP)


A Parkwood Entertainment, empresa digital da cantora Beyoncé, está sofrendo um processo após uma mulher cega argumentar que teve acesso negado aos serviços da artista por falta de acessibilidade pelo site de venda de ingressos. A ação legal foi realizada em Nova York.

A autora do processo é a norte-americana Mary Conner. De acordo com a ação, informada pelo portal britânico NME, existe um apontamento de que o site de venda de ingressos teria infringido o Ato Norte-Americano de Deficiências ao proporcionar “uma interface exclusivamente visual”.

O advogado de Conner escreveu no processo sobre como a cliente foi afetada pela falta de acessibilidade à pessoas cegas: “A autora tinha o sonho de visitar um show de Beyoncé e escultar as músicas ao vivo. Entretanto, quando ela foi procurar informações no site da cantora, ela encontrou diversos obstáculos que limitaram o acesso aos serviços oferecidos”.

Uma proposta de acordo para o processo teria o objetivo de cobrir “todos os cidadãos cegos nos Estados Unidos que tentaram acessar o site da Beyoncé e como resultado tiveram negado o acesso aos serviços oferecidos pelo site durante o período legal relevante”.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade