Publicidade

Correio Braziliense

Feiras e mais programações culturais são alternativas para o fim de semana

A Feira Literária da Torre de TV oferecerá uma programação com lançamentos de livros, entrevistas com autores, palestras, contação de histórias e venda de livros direto com os autores locais


postado em 02/02/2019 07:30

Autores locais têm espaço de destaque para apresentar as obras ao público(foto: Kizy Melo/Divulgação)
Autores locais têm espaço de destaque para apresentar as obras ao público (foto: Kizy Melo/Divulgação)
Com a programação recheada de atividades variadas, o fim de semana do brasiliense oferece muitas possibilidades. Para quem busca relaxar e desacelerar da correria do dia a dia, feiras propõem integração com a leitura e reflexões sobre consumo consciente. No sábado, a Calmaria, no Quanto Café da 103 Norte. Durante todo o fim de semana, a Feita Literária da Torre de TV. Ajeite a canga e aproveite!

No coração da capital, o primeiro fim de semana de cada mês desde novembro do ano passado é dedicado à literatura local. Na terceira edição, a Feira Literária da Torre de TV oferecerá uma programação com lançamentos de livros, entrevistas com autores, palestras, contação de histórias e venda de livros direto com os autores locais. Expositor na Feira da Torre desde 1998, o ourives Rubens Aguillar é o organizador do evento. “Um dos principais objetivos do evento é dar visibilidade para a feira agregando aos artistas locais”, ele explica.

As duas primeiras edições, em novembro e dezembro de 2018, tiveram ótima recepção do público. “Na primeira, tivemos sete ou oito escritores vendendo no local. Na segunda, já foram por volta de 11 e passaram umas duas mil pessoas por aqui”, relembra Rubens. “Para a deste fim de semana, temos mais de 15 confirmados e pretendemos chegar a 20 escritores, fora os lançamentos de livros.” O mineiro classifica a prática de eventos como importantíssima: “A ideia é revitalizar. Quando a feira ficava ali embaixo da Torre, a cultura era viva. Com essa mudança para cá, perdemos um pouco e agora conseguimos retornar aos poucos.”

Na feira Calmaria: oportunidade de aprender a fazer os próprios cosméticos(foto: Evelyn Dias/Divulgação)
Na feira Calmaria: oportunidade de aprender a fazer os próprios cosméticos (foto: Evelyn Dias/Divulgação)


A feira é uma iniciativa da Associação de Expositores (ASSEAPMA) e valoriza autores locais. A programação inclui a série de entrevistas Dialogando, com Hézio Teixeira, que receberá, dentre outras pessoas, o poeta Nicolas Behr no sábado. Diferentes artistas se unem na apresentação de poesias, histórias e músicas durante os dois dias de evento e diversos projetos para marcar presença, como o Poesia na casca, o Celeiro Literário Brasiliense, o Coletivo Maria Cobogó e a AVÁ — Editora Artesanal.

Reflexão

O Limonada project é a iniciativa por trás da Calmaria — Feira Transparente. O grupo desenvolve ações em formatos criativos e inovadores de todo tipo com feiras, exposições e variadas experiências. “Unimos feiras e mercados à informação”, explica Gracilene Bessa, integrante do projeto e organizadora da Calmaria. O evento ocorre das 10h às 19h, no Quanto Café da 103 Norte. “Pensamos num evento que estimule as pessoas a parar e olhar com calma”, diz Gracilene. “São produtos que remetam mais ao cuidado, artesanais e manualmente feitos.”

Serão rodas de conversa, aula de ioga, oficinas e lanches. Dentre os debates, Deva Gulabo media um sobre autocuidado e redescobrir-se mulher. Uma oficina de cosméticos naturais ensinará o público a desenvolver uma alternativa natural de protetor labial e máscara esfoliante, com Caroline Reis. Durante todo o dia, a DJ Karla Testa garante a música do evento, e, a partir das 18h, a cantora Mariana Guel se apresenta com participação de Paulo Chaves.

“Queremos incentivar o consumo mais consciente e provocar as pessoas a ver quem está por trás da ideia do produto que ela compra”, esclarece Graciele. “É um lugar para trazer uma canga, parar e olhar no olho um do outro, se acalmar nessa correria da vida.” Para os apreciadores, a instrutora Ludmilla Cyrino ministrará uma aula de hatha yoga, uma das modalidades mais simples do ioga, que deu origem a vários outros existentes hoje.

*Estagiária sob supervisão de Igor Silveira


Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade