Publicidade

Correio Braziliense

Teatro Negro de Praga retorna a Brasília com antologia mágica

Feito com luzes e sombras, o teatro negro faz turnê no Brasil


postado em 07/02/2019 06:30 / atualizado em 06/02/2019 19:19

(foto: Teatro Negro de Praga/Divulgaão)
(foto: Teatro Negro de Praga/Divulgaão)

 
Na última vez em que o Teatro Negro de Praga esteve no Brasil, tanto a companhia quanto o país eram bem diferentes. “Toda a empresa mudou, são novos artistas. Nenhum deles que se apresenta neste espetáculo esteve no Brasil antes”, relembra o diretor Jirí Srnec, fundador e diretor artístico da equipe. Nesta sexta, o grupo fará dois shows no Centro de Convenções Ulysses Guimarães, às 19h e às 21h30. A turnê pelo Brasil percorrerá também outras quatro cidades.

O teatro negro é uma das manifestações artísticas mais características de Praga. Apesar de ter as origens na China, em projeções humorísticas feitas à luz de velas, foi pelas mãos habilidosas de Jirí Srnec que ele ganhou novas proporções. O Teatro Negro Srnec apresentou-se pela primeira vez no Festival Internacional de Edimburgo, em 1961. Foi o primeiro do gênero em todo o mundo. “A base é a escuridão, brincamos com a incapacidade do olho humano de ver preto no preto.”

Assim, as apresentações misturam mímica, luz negra, dança e técnicas de iluminação e som. Uma vez que o grupo alcançou prestígio e reconhecimento internacional, ter os números exibidos sem diálogo facilita a compreensão do público das mais diversas origens. O que conduz sonoramente os espetáculos são as músicas de fundo (e também as risadas da plateia). Com 70 anos de atuação, a companhia participou de quase 80 festivais internacionais de teatro, com mais de 250 excursões internacionais em mais de 68 países.

“Nosso teatro continua em vigor depois de tantos anos, já que nos mantivemos fora de qualquer situação política e social”, explica o diretor. “Nosso único interesse e razão de existência é oferecer ao público algo diferente, algo fantástico que nos afasta por um tempo da realidade e os leva à fantasia.” Hoje, 11 artistas viajam em turnê com a companhia e são muito bem preparados para desempenhar todas as funções exigidas pelo espetáculo: “Eles têm se preparado há anos para se tornar parte da companhia. Nós somos uma família no trabalho”, reforça Srnec.

(foto: Teatro Negro de Praga/Divulgação)
(foto: Teatro Negro de Praga/Divulgação)


Dentre a infinidade de espetáculos já criados e apresentados pelos artistas de Praga, a turnê no Brasil receberá Antologia — O melhor do teatro negro. “É uma compilação das melhores cenas dos últimos 60 anos, a mais alegre e mais surpreendente para o público”, explica o fundador. São oito cenas retiradas de espetáculos como A bicicleta voadora, A semana dos sonhos, O que vem depois? e Pierrot branco no preto. O público é encantado pelos técnicos da escuridão da companhia, como define o próprio diretor. “Esteja preparado, porque conosco nada é como parece ser”, define a companhia.

O nome do espetáculo vem do grego e significa uma seleção dos melhores poemas, é um dos queridinhos do grupo. Já foi apresentado para 15 mil pessoas em Campobasso, na Itália, e assistido por espectadores ilustres como os presidentes de Nicarágua e El Salvador, quando passou pelos países. “É uma jornada através de nossos inícios e através de todas as produções que fizemos”, define Srnec.

Reconhecimento

Por representar, com maestria, a arte tcheca internacionalmente, Jirí Srnec recebeu a Medalha de Mérito Estatal em 2011. Em 2018, recebeu o Prêmio Thalia 2017 também pelas contribuições artísticas notáveis. Depois de ter sido vista por mais de 5 milhões de espectadores, a companhia foi escolhida para representar a cultura tcheca durante a reunião da cúpula da Otan em Praga, em 2002.

A atuação do teatro Srnec inspirou a criação de outras diferentes companhias na cidade, que exploram a mágica das sombras e da “cabine negra”, a técnica utilizada pelos teatros negros. Hoje, pode ser considerada como uma das marcas registradas de Praga.



“Você nunca saberá se viu ou sonhou”
Jirí Srnec, fundador do Teatro Negro de Praga
 
 

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade