Publicidade

Correio Braziliense

Túlio Borges faz show intimista na Caixa Cultural

Obra do artista de Brasília é marcada pela pesquisa da poesia popular


postado em 07/02/2019 06:30 / atualizado em 06/02/2019 19:22

Brasiliense faz show intimista que mescla música e poesia(foto: 'Marvi Dutra/CB/D.A Press)
Brasiliense faz show intimista que mescla música e poesia (foto: 'Marvi Dutra/CB/D.A Press)

“A borboleta amarela/ Passa juntinho à janela/ Vai pousar, serena e bela/ Num lindo caramanchão/ O sabiá, lá da mata/ No ingazeiro desata/ A nota suave e grata/ De sonorosa canção”, trecho do poema Momentos matutinos do poeta, João Batista de Siqueira, conhecido como Cancão. No sábado e no domingo, o cantor e compositor brasiliense Túlio Borges faz show intimista na Caixa Cultural em que mescla a música com poesia.

Túlio Borges, talento da capital federal, imergiu na realidade da poesia popular nordestina após o primeiro álbum Eu venho vagando no ar (2010). E, desde então, permanece pesquisando a fundo sobre a cultura dessa região rica em poesias. “A partir do meu segundo disco, fiz pesquisas sobre a poesia popular do nordeste, com foco na capital da poesia, São José do Egito, no Pernambuco”, conta Túlio. “Lá tive contato com a poesia de caras como João Batista de Siqueira, Lourival Batista e outros grandes nomes.”

Durante o show do músico, os espectadores desfrutarão de excelentes composições autorais e de parcerias que Túlio fez ao longo da carreira. “Vou fazendo o espetáculo costurando numa poesia. Eu toco duas, três músicas e, entre elas, declamo poesias”, diz.

As parcerias, inclusive, são parte importante da vida do cantor. Ele compôs com grandes nomes da poesia nacional, como Climério Ferreira, piauiense radicado em Brasília, e Jessier Quirino, poeta que tem composições com grandes violeiros do Brasil, como Xangai e Vital Farias. “No início da minha carreira, eu fazia muita música só, e me bastava. Mas comecei a conhecer Chico Saraiva, Jessier Quirino, Ana Reis, entre outros, e fiquei mal-acostumado. A parceria lhe leva mais longe, mais do que você iria sozinho. Você está compondo e puxando para um lado e, então, vem o parceiro e te mostra uma outra realidade. Parceria é viver além da sua vida”, comenta.

As raízes nordestinas estão no sangue de Túlio; afinal, o pai veio da região, e isso que o fez ter a vontade de pesquisar sobre as poesias de lá. “Meu pai sempre falou pouco do Nordeste, ele meio que esqueceu. Então, para voltar àquela região fiz a pesquisa. A história da poesia de lá é muito incrível e longa, se dá de maneira muito natural. Contar faz parte da minha história familiar”, relata o músico.

Peculiaridades

No entanto, Túlio Borges não faz música da mesma maneira que lá se faz, ele dá um outro olhar sobre essa poesia, ele a apresenta de uma forma mais sutil. “Eu tento ver essa poesia com os olhos de quem está na cidade, não é a musicalidade de lá. Xangai, por exemplo, tem algo mais visceral, é de lá, há marcas do sertanejo nele. Eu já faço a música sentado, toco o baião, o forró sem o sorriso no rosto”.

Recentemente, o músico lançou o single Porque Sabino morreu, canção que ele fez com os versos do poeta Cancão, e a música foi considerada uma das 30 melhores música segundo o site Melhores da Música Brasileira. Mas isso não é nenhuma novidade, vira e mexe o cantor é premiado pelo trabalho que faz, como quando ganhou o prêmio de melhor cantor independente pela Rádio Cultura de São Paulo e a nominação de um dos 50 melhores discos do ano pela Revista Manuscrita, em 2010 e também teve o segundo álbum da carreira, Batente de Pau de Casarão, escolhido como um dos melhores três discos brasileiros de 2015, de acordo com o site Melhores da Música Brasileira. Ele já está com dois discos prontos, mas não sabe se vai lançá-los na íntegra no primeiro semestre, provavelmente liberará alguns novos singles por agora.

*Estagiário sob a supervisão de Igor Silveira




Show de Túlio Borges
Sábado e Domingo, às 19h. Caixa Cultural (SBS, Qd. 4, lt 3/4). Ingressos a R$ 30 (inteira) e R$ 15 (meia-entrada). Não recomendado para menores de 14 anos.

  

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade