Publicidade

Correio Braziliense

Marcus Ligocki Jr, produtor de cinema, é anunciado curador do Festival

Ideia do secretário de Cultura do DF Adão Cândido é de pulverizar a dimensão do tradicional evento, a ser desdobrado em série de ações, ao longo do ano, formando a 52ª edição do Festival de Brasília do Cinema Brasileiro


postado em 08/02/2019 11:51 / atualizado em 08/02/2019 12:14

Marcus Ligocki Jr. tem visão de mercado integrada a estudos no exterior(foto: Antonio Cunha/ CB DA Press)
Marcus Ligocki Jr. tem visão de mercado integrada a estudos no exterior (foto: Antonio Cunha/ CB DA Press)

 
Depois da troca do programador do Cine Brasília, o chamado "templo" do cinema nacional, na EQS 106/107; mudanças de curso prometem cercar o mais do que tradiconal Festival de Brasília do Cinema Brasileiro, realizado há mais de meio século. Sem modelo definido — há a intenção de formalizar ações, em breve —, haverá alteração do formato do evento, como revela o primeiro anúncio do secretário de Cultura do DF Adão Cândido.
 
Desdobrar a atenção do festival (tradicionalmente, promovido em setembro, com ampla cobertura da mídia nacional) em blocos, integrados ao Cine Brasília, está entre as medidas cogitadas. Por enquanto, o primeiro curador do evento (a ser formatado por três profissionais) foi escolhido: será o produtor Marcus Ligocki Jr. Ele, que atualmente se encontra no Festival de Berlim, é conhecido como diretor do longa Uma loucura de mulher (2016), além de produtor de longas como Rock Brasília — Era de ouro, de Vladimir Carvalho, e de fitas assinadas
pelo diretor Iberê Carvalho (O último Cine Drive-in).

Integrar nosso cinema a um panorama internacional (por meio de parcerias) está entre os objetivos de Ligocki, que implantou, no Iesb, o curso de Cinema e Mídias Digitais, e que, atualmente, produz o novo filme de Renato Barbieri, Pureza.   

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade