Publicidade

Correio Braziliense

Na telona transbordam os talentos negros

Fortalecidos por bons desempenhos nas bilheterias ou por premiações em vários âmbitos, artistas negros têm crescente projeção na indústria do audiovisual


postado em 26/03/2019 07:33 / atualizado em 25/03/2019 18:12

Lupita Nyong´o: brilhante, em Nós(foto: Universal / Divulgação)
Lupita Nyong´o: brilhante, em Nós (foto: Universal / Divulgação)
 
 
São os nomes do momento: de Lupita Nyong´o a Chadwick Boseman, passando por Michael B. Jordan (todos do blockbuster Pantera Negra) e desembocando no diretor e produtor Jordan Peele. Na teia de talentos do audiovisual do ano passado para este, artistas negros conquistam um espaço bastante representativo seja nas séries, mas especialmente no cinema. Quando não, nas duas áreas, caso do diretor do terror Nós, atualmente em cartaz, Jordan Peele, que é um dos criadores da cômica série The last O.G., estrelada por Tracy Morgan, além de ter assinado a produção de Infiltrado na Klan, anos depois do estrondodo sucesso de Corra!.
 
Astro daquela fita, Daniel Kaluuya, em novembro, encabeçará Queen & Slim, título policial em que namorados são abordados por um tira, logo no primeiro encontro de ambos. Situação semelhante desencadeou a trama de Se a rua Beale falasse, produção que rendeu o Oscar de melhor atriz coadjuvante para Regina King, nome de ponta em Hollywood e que filmará All the way with you, um novo thriller capaz de combinar morte e dívidas em aberto. À frente da terceira temporada de True detective, o coadjuvante Mahershala Ali (premiado com Oscar, por Green book) segue tendo este projeto como carro-chefe para 2019. Na linha de frente dos artistas reconhecidos em 2019, Billy Porter, foi bastante valorizado pela participação na série Pose, pela qual concorreu ao Globo de Ouro, na categoria drama.

Três anos depois do sucesso com Moonlight: Sob a luz do luar, o ator Ashton Sander está prestes a alcançar o circuito brasileiro com a ficção científica A rebelião, ao lado de John Goodman. Num nicho popular, uma invasão alienígena movimenta a ação. Também sempre prestigiado, o ramo da comédia confirma Tyler Perry como um dos homens mais rentáveis para a indústria do cinema, dado comprovado por Um funeral em família, prestes a estrear. Madea (Perry) é pego de surpresa pela necessidade de organizar um funeral, enquanto realiza uma viagem rumo a Georgia.
 
O astro de Pantera Negra promete causar em 17 Bridges(foto: Random/ Divulgação)
O astro de Pantera Negra promete causar em 17 Bridges (foto: Random/ Divulgação)
 
Pantera Negra, depois de alastrar uma repercussão impensável para os antigos padrões da telona, segue frutificando carreiras. Astro supremo do filme, Chadwick Boseman, será ator do filme Da 5 bloods, assinado por ninguém menos do que Spike Lee (vencedor do Oscar de melhor roteiro adaptado). Ao lado do veterano Delroy Lindo, no filme que explora traumas de guerra, Boseman interpreta um homem que passou pela Guerra do Vietnã. Já no policial 17 bridges, ele está inserido numa sinopse que toca o desbaratamento de um império criminoso. 

Outro calçado na fama de Pantera Negra é Michael B. Jordan, o Erik Killmonger daquele filme. Além do ainda inédito (no Brasil) Farenheit 451, Jordan estará em Raising Dion, série de tevê sobre um futuro super-herói, e no longa Just mercy, ao lado de Brie Larson (Capitã Marvel), no longa em que interpreta um advogado de defesa preocupado com possíveis sentenças de morte reservadas a clientes. Colega de elenco, e estrela absoluta de Nós, Lupita Nyong´o trabalhará com o diretor John Woo e ainda com Penélope Cruz, em 2019, isso além de voltar ao papel de Maz Kanata, para Star Wars: Episódio IX.
 
Colega de Lupita, em Nós (no qual vive Russell Thomas), Yahya Abdul-Mateen II será um dos atores do filme Sweetness in the belly, ainda em produção. Na fita, ele, junto com a personagem de Dakota Fanning, movimenta um romance que aproxima uma libertária mulher saída da África em guerra, e está dedicada à causa de refugiados, de um médico também empenhado em salvar pessoas.

Símbolo de outro longa que demarcou estrondo em 2018, a comédia ácida Sorry to bother you, o ator LaKeith Stanfield terá como parceiros nas telas, astros como Adam Sandler, Chris Evans e Daniel Craig. Vale lembrar que Sorry to bother you partiu de uma inusitada trajetória para um atendente de marketing que, negro, passa a imitar o tom e a maneira de falar de brancos, a fim de obter mais êxito na profissão. LaKeith Stanfield foi um dos nomes projetados pela série Atlanta, uma criação do colega Donald Glover (Star wars) e que esteve apoiada em explorar o cenário do rap em Atlanta (Estados Unidos).

Um momento marcante para a afirmação de um talento feminino (e passível de sofrer preconceito racial) veio no caso que envolveu a estrela negra Danai Gurira (fortalecida pela série The walking dead): na pele de Okoye, heroína do universo Marvel, a falta de seu nome no cartaz de Vingadores: Ultimato, criou uma repercussão muito negativa, mas, a tempo, reparada. 

Consertado, o poster traz o nome e a imagem da atriz. Aguardado filme para o mês de abril, Ultimato alinhará ainda os colegas da atriz Winstone Duke (o Gabe de Nós), que vive M´Baku, a resplandecente Letitia Wright (conhecida pelo papel de Shuri). Em breve, ela ainda estará no longa Guava Island, uma descompromissada comédia em produção.

Nomes de peso

Depois de sacudir as telas, com a aparição em Deadpool 2, a alemã Zazie Beetz tem tudo para brilhar em Coringa (com estreia para outubro). Até lá, sete outras atrações tomam conta da agenda da atriz: em High flying bird, por exemplo, do prestigiado Steven Soderbergh, Zazie encontra os bastidores da indústria do basquete. Outro chamariz de peso está no terror que encabeça, ao lado de Armie Hammer (Me chame pelo seu nome): Wounds

Tudo e todas as coisas foi um dos títulos que afirmou a jovem Amandla Stenberg em Hollywood, ao passo que, no ano passado, ela esteve debaixo dos holofotes com os longas O ódio que você semeia e Mentes sombrias. Neste ano, sob direção de Amma Asant, Amandla estará em Where hands touch, drama centrado no auge do nazismo.

Uma das estrelas para a adaptação para o cinema do game Monster Hunter, previsto para 2020, Meagan Good desfila boa fase: será a Darla Dudley adulta em Shazam!, prestes a estrear; codirige o drama If not now, when?, e ainda estrela The intruder, filme em que uma propriedade de terras é ferrenhamente disputada.

Depois de faturar um Globo de Ouro para ator de drama (This is us), e de se apresentar como um vilão real N´Jobu, em Pantera Negra, Sterling K. Brown (foto) emprestará a voz a dublagens de The Angry Birds (parte 2), e na mesma função, está confirmado em Frozen II. Ao lado de Lucas Hedges, estará no drama Waves, e ainda estrelará o thriller The rhythm section

Prejudicada pelos bastidores da excelente produção O nascimento de uma nação (2016), dadas as acusações de estupro que recaíram sobre o diretor Nat Parker, a atriz Aja Naomi King tem, no campo das séries, destaque com How to get away with murder. No cinema, viveu Latrice, no remake Amigos para sempre e estará em A girl from Mogadishu, fita sobre uma ativista somali que luta contra a mutilação genital empregada na África, e filma Sylvie, ambientado no Harlem dos anos 50.

Tessa Thompson dará voz à cachorrinha Dama, no remake de A Dama e o Vagabundo, o clássico de 1955. Além disso, a atriz estrelará MIB: Homens de Preto — Internacional, ao lado de Chris Hemsworth, ao lado de quem já brilhou, em Thor: Ragnarok. Tudo isso, depois de ter estado em Creed II, no papel de Bianca, e de seguir brilhando em Westworld, atração da HBO.

Taraji P. Henson é o nome à frente do elenco da comédia Do que os homens gostam. Na fita, ela ouve os pensamentos dos homens, fato que, como agente esportiva a auxilia na carreira. Para o ano, Henson estrelará The best of enemies. No filme, viverá Ann Atwater (morta em 2016), que foi ativista dos direitos civis, ao longo dos anos de 1970, e lutou contra a segregação racial em escolas americanas. 

Fique de olho

Previsto para ser lançado em agosto, Hobbs & Shaw trará, além dos astros Dwayne Johnson e Jason Stratham, Idris Elba na pele de um vilão cibernético.
 
Ruth Negga, indicada ao Oscar por Loving (2016) estará no novo filme de Brad Pitt, Ad astra, em torno de missão espacial.

Mais jovem atriz indicada ao Oscar, até hoje, Quvenzhané Wallis (em 2012), passado o fracasso da refilmagem de Annie (2014), atualmente, está na série Black-ish.
 
Yara Shahidi, atriz de O sol também é uma estrela (foto: Mark Ralston / Divulgação )
Yara Shahidi, atriz de O sol também é uma estrela (foto: Mark Ralston / Divulgação )
 
 
Yara Shahidi, protagonista da série musical Grown-ish, em O sol também é uma estrela, dá continuidade às adaptações da best seller Nicola Yoon (Tudo e todas as coisas).

Previsto para maio, o terror Ma trará Octavia Spencer no papel de uma solitária que acolhe adolescentes na casa dela. Mas, não será das melhores anfitriãs.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade