Publicidade

Correio Braziliense

Henrique Neto se apresenta no Clube de Choro durante evento internacional

Show do violonista brasiliense e do trompetista baiano hoje, às 21h


postado em 24/04/2019 07:40

(foto: Show do violonista brasiliense e do trompetista baiano hoje, às 21h)
(foto: Show do violonista brasiliense e do trompetista baiano hoje, às 21h)


Instrumentistas como Hamilton de Holanda, Gabriel Grossi, Daniel Santiago, Rogério Caetano e Rafael dos Anjos, que iniciaram a carreira no âmbito do Clube do Choro, após se destacarem na capital, migraram para o Rio de Janeiro. Há, porém, os que optaram por permanecer na cidade, contribuindo para o fortalecimento da cena musical brasiliense.

Um deles é o violonista e compositor Henrique Neto, licenciado em música pela Universidade de Brasília, integrante do grupo Choro Livre, ex-coordenador da Escola Brasileira de Choro Raphael Rabello e autor, com o bandolinista Dudu Maia, do Manual do Choro, método para o ensino do gênero. Ele está há um ano e meio em Portugal, onde conclui em junho o mestrado de performance em jazz.

Henriquinho, como é chamado pelos amigos, deu uma pausa no curso para vir participar do Encontro Internacional de Choro. Hoje, às 21h, ele faz show no Espaço Cultural do Choro, na companhia do trompetista baiano Gileno Santana, radicado há 13 anos em Lisboa. Nessa apresentação, eles mostrarão a bagagem que acumularam no jazz, mas tendo o choro como referência.

Como integrante do regional Choro Livre, o violonista já se apresentou nos Estados Unidos, na América Latina, no Caribe, na Europa, na Ásia, em show ou participando de festivais. No Clube do Choro, acompanhou nomes consagrados da MPB como Sivuca, Hermeto Pascoal, Paulinho da Viola, Guinga, Déo Ryan, Dominguinhos, Sebastião Tapajós, Armandinho Macedo, Oswaldinho do Acordeon, entre outros.



Caminhos abertos

Da discografia de Henrique Neto constam os títulos Caminhos abertos (CD solo), de 2011; Na caçapa do meio (2013) e Choro Livre (2015), com o grupo Choro Livre; e o Cai Dentro, com o grupo homônimo, em 2016. “Este último CD foi o prêmio destinado ao vencedor do festival Geração Musical, promovido pela empresa Furnas”, lembra o músico brasiliense, filho de Henrique Santos Filho, presidente do Clube do Choro.

Entre as apresentações no exterior, ele destaca a que fez na Berklee College of Music, em Boston (EUA); na Feira Internacional do Livro, em Frankfurt, na Alemanha; e concerto na Universidade de Artes de Havana, em Cuba; além do show solo pelo projeto MPB Petrobras, na Sala Villa-Lobos do Teatro Nacional.

O instrumentista fala da experiência como aluno do curso de mestrado de performance em jazz, na Universidade de Aveiro, em Portugal. “Estou lá há um ano e meio. Em junho, concluo o mestrado, ao defender a tese que versa sobre elementos do jazz no choro. Aproveitei esse período em Portugal para difundir o choro e lançar o Manual do choro, que o Dudu Maia e eu criamos em 2017”.

Mas a presença de Henrique na Europa não se restringe ao país lusitano. “Tenho feito shows em cidades da França, Itália e, claro, Portugal, e percebo o interesse do público pela linguagem do choro, gênero musical brasileiríssimo”, destaca. “Em Lisboa, conheci o Gileno Santana, trompetista baiano de Salvador, que mora na capital portuguesa há 13 anos. Ele tem um trabalho muito apreciado na Europa. Nesta terça-feira, vamos voltar a tocar juntos, agora na minha casa, pelo Festival Internacional de Choro, comemorativo dos 20 anos da Escola Brasileira de Choro Raphael Rabello, o que me dá uma grande satisfação”, acrescenta.


Henrique Neto e Gileno Santana
Show do violonista brasiliense e do trompetista baiano hoje, às 21h, no Espaço Cultural do Choro (Eixo Monumental, ao lado do Centro de Convenções Ulysses Guimarães). Ingressos: R$ 60 e R$ 30 (meia para estudante). Não recomendado para menores de 14 anos. Informações: 3224-0559.


Programação 

Amanhã 
• Carlos Malta (saxofone e flauta) e Robertinho Silva (bateria e percussão)

Sexta-feira 
• Nicolas Krassik (violino) e Marcelo Caldi (acordeon)

• Às 21h, no Espaço Cultural do Choro – Eixo Monumental. Ingressos: R$ 60 e R$ 30. Não recomendado para menores de 14 anos.

Sábado 
• Ian Cury (bandolim), Tiago Tunes (bandolim), Júnior Viegas (bateria), Matheus Donato (cavaquinho), Moisés Alves (trompete), Armandinho Macedo (bandolim), Yotam Sliberstein (guitarra), Spok Quinteto e Professores da Escola Brasileira de Choro Raphael Rabello.

Domingo 
• Gypsy Jazz Club, Professore da Escola Brasileiro de Choro Raphael Rabello, Choro Livre, Luiz Caldas e Nilze Carvalho.

• Na área externa do Clube do Choro – Eixo Monumental. Ingressos: R$ 60 e R$ 30 (meia entrada) / Passaporte para os dois dias R$ 100 e R$ 50 (meia entrada). Não recomendado para menores de 14 anos.
 
 
 
 


Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade