Publicidade

Correio Braziliense

Memorial dos Povos Indígenas tem intensa programação a partir desta quinta

Projeto Culturas vivas traz exposição, mostra de filmes, contação de histórias, oficinas e palestras ao museu


postado em 24/04/2019 14:47 / atualizado em 24/04/2019 14:50

De 25 de abril a 12 de maio, a programação do Memorial dos Povos Indígenas será intensa(foto: Claudio Reis/CB/D.A Press)
De 25 de abril a 12 de maio, a programação do Memorial dos Povos Indígenas será intensa (foto: Claudio Reis/CB/D.A Press)

O Memorial dos Povos Indígenas (Eixo Monumental) recebe, a partir desta quinta-feira (25/4), o projeto Culturas vivas. O evento contará com exposição, mostra de filmes, contação de histórias, oficinas e palestras, e perdura até 12 de maio.

A abertura do evento será com a exposição Respeito ou repetição - A história que não se quer reviver, às 18h. Com curadoria de Marcelo Zelic, pesquisador e coordenador do Armazém da Memória, a mostra traz informações do Relatório Figueiredo, de 1967, e relatos da Comissão Nacional da Verdade, a respeito de atrocidades cometidas contra as populações no século passado.

O primeiro dia de exposição será marcado também por um debate, que terá a participação da liderança indígena Sônia Guajajara, coordenadora nacional da Articulação dos Povos Indígenas do Brasil (APIB), do subprocurador-geral da República, Antônio Carlos Bigonha, de Guta Assirati e Jaime Siqueira, do Centro de Trabalho Indigenista, e do curador.

Após o debate, Gigantes pela própria natureza, filme manifesto será exibido, às 20h. A produção, de Carol Gavazzi e Watatakalu Yawalapiti, traz a voz das mulheres indígenas do Xingu e ancestrais. Assim que acabar o filme, o responsável pela trilha sonora O Novíssimo Edgar, rapper futurista, fará um show.

Respeito ou repetição – A história que não se quer reviver fica em exibição até 12 de maio e será sempre acompanhada de filmes.

Na próxima terça (30/4), às 8h, Kamuu Dan Wapichana apresenta o livro infantil O sopro da vida, e conduz oficinas de contação de histórias seguidas de uma mostra de filmes indígenas para crianças.

O evento também contará com o programa Tecendo história, que pretende fortalecer o ensino e aprendizado sobre a história e memória dos povos indígenas no Brasil. Serão abordados temas como Etnologia, perspectivas decoloniais da história indígena no Brasil, entre outros. No entanto, as inscrições para as oficinas já estão encerradas.

Confira a programação do evento:


Exposição Respeito ou Repetição - A história que não ser que reviver

De 25/4 a 12/5 - Abertura às 18h. Nos outros dias, de terça a sexta, a partir das 9h e sábados, domingo e feriados, a partir das 10h.

Mostra de Filmes - Exposição Respeito ou Repetição

De 25/4 a 12/5 - Abertura às 20h. Nos demais dias, a partir das 19h.

Contação de história e lançamento do livro infantil O sopro da vida, de Kamuu Dan Wapichana

30/04 - das 8h às 9h.

Mostra de filmes indígenas para crianças

30/04 - 09h00 às 12h00.
 

Ciclo de oficinas Programa Tecendo Histórias

25/4

Das 14h às 17h - Início da oficina – tema: políticas indígenas.

27/4

Das 14h às 17h - Palestras:

Noções de etnologia e perspectivas descoloniais da História Indígena no Brasil.
Palestrante: Rosilene Tuxá – Doutoranda em Antropologia Social, Departamento de Antropologia DAN-UNB

Memória e narrativas indígenas. Diversidade e resistência cultural no presente.
Palestrante: Armando Quéchua – Associação de Acadêmicos Indígenas da UnB (AAIUnB)

Memória como ferramenta de luta
Palestrante: Elaine Moreira – Observatório dos Direitos e Políticas Indígenas (OBIND)

18h - Exibição dos filmes: Das crianças Ikpeng para o mundo e Índio Cidadão?

4/5

Das 9h às 12h - Palestras:

Mediação e ações educativas em museus e a formação de museus etnográficos
Palestrante: Ingrid Orlandi – Museóloga Consultora do Projeto Culturas Vivas CTI-MPI

Ações educativas no Museu de Arqueologia e Etnologia da USP. Processos colaborativos em mostras e museus indígenas
Palestrante: Carla Gibertoni Carneiro – Museu de Arqueologia e Etnologia da Universidade de São Paulo (MAE-USP)

Museu e Memorial. Particularidades do ponto de vista de um indígena
Palestrante: Mirim Ju Yan Guarani - Associação de Acadêmicos Indígenas da UnB (AAIUnB)

Das 14h às 17h - Oficina voltada para a inserção da temática indígena na sala de aula

11/5

Das 9h às 12h - Palestras:

O Projeto Culturas Vivas, ação indigenista e Memorial dos Povos Indígenas
Palestrante: Guta Assirati – Coordenadora de Projetos Centro de Trabalho Indigenista - CTI

Patrimônio Material e Imaterial no Brasil e noções sobre Educação Patrimonial
Palestrante: Paulo Moura Peters – Coordenação de Educação Patrimonial IPHAN-DF

Ações e educação indígena no museu. Um exemplo do Museu do Índio
Palestrante: Josimo Constant – Pesquisador colaborador no Museu do Índio, doutorando em Antropologia Social no Museu Nacional/UFRJ

Das 14h às 17h – Roda de conversa e encerramento do programa Tecendo Histórias

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade