Publicidade

Correio Braziliense

Crise pessoal e família estão em roteiros das estreias da semana

Longa malaio é um dos destaques das estreias


postado em 25/04/2019 06:30 / atualizado em 24/04/2019 18:53

Cena de O ano de 1985: trama de um jovem em condição fragilizada que revê a família (foto: Supo Mungam Films/Divulgacao)
Cena de O ano de 1985: trama de um jovem em condição fragilizada que revê a família (foto: Supo Mungam Films/Divulgacao)

Um rapaz em busca de compreensão e de mais diálogo com a família encabeça a trama de uma das estreias da semana (O ano de 1985), que tenta emplacar alguma atenção ante o onipresente, nas salas de cinema, Vingadores: Ultimato. Dirigido pelo malaio Yen Tan, o longa, feito em preto e branco, traz uma viagem esclarecedora para o jovem Adrian (Cory Michael Smith) que, afastado por três anos da família no Texas, revê os familiares, numa condição muito fragilizada.

Também demarcando uma guinada de vida para uma protagonista, o drama O mau exemplo de Cameron Post é baseado em livro de Emily M. Danforth e venceu o Grande Prêmio do Júri do Festival de Sundance. Um beijo sela a sorte da personagem Cameron (Chloë Grace Moretz) que, flagrada numa situação de traição pelo namorado, durante a festa de formatura, terá questionamentos em torno de sua orientação sexual. O filme dirigido por Desiree Akhavan trata do polêmico assunto de reversão de sexualidade (tal qual o longa Boy erased — Uma verdade anulada) em centro religioso.

Uma crise pessoal é a chave para a trama do filme brasileiro Organismo, outra das estreias da semana. Conduzido pelo baiano radicado em Pernambuco Jeorge Pereira, o longa tem a curiosa premissa de, apesar de ficcional, trazer para a tela a realidade do diretor, cadeirante desde a infância, em decorrência de poliomielite.

Dois profissionais envolvidos no filme Organismo, o diretor de fotografia Marcelo Lordello (também cineasta) e o ator brasiliense Rômulo Braga (de Elon não acredita na morte), são habitués do Festival de Brasília do Cinema Brasileiro. Na trama do longa, o tetraplégico Diego (Braga), ao lado da namorada Helena (Bianca Joy), experimenta aguda situação existencial diante das mudanças no corpo, e ainda por causa de memórias infantis que afloram pela morte da mãe dele.

Outra estreia garantida para o circuito local de cinema é o longa russo Sobibor, que marca a estreia como diretor do ator Konstantin Khabenskiy, selecionado pela Rússia, para tentar uma vaga para o Oscar de melhor filme estrangeiro. Com o primeiro busto dedicado a sua figura, em 2017, o histórico personagem Alexander Pechersky é o protagonista do filme situado no período da Segunda Guerra Mundial.

Sobibor foi um campo de concentração nazista em que 250 mil pessoas foram exterminadas. Pechersky (sob o apelido de Sascha) é responsável por um motim que desafiou parte da esquematização do Holocausto. No longa, há a presença do astro Christopher Lambert (de fitas como Greystoke — A lenda de Tarzan).
 

  

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade