Publicidade

Correio Braziliense

Ian Coury e Michael Pipoquinha tocam no Clube do Choro

Show traz parceria de nova geração de instrumentistas


postado em 16/05/2019 06:30 / atualizado em 16/05/2019 11:30

Ian Coury com Michael Pipoquinha: show com repertório de vários gêneros da MPB (foto: Zeca Jr/Divulgação)
Ian Coury com Michael Pipoquinha: show com repertório de vários gêneros da MPB (foto: Zeca Jr/Divulgação)

 

Tem se tornado uma prática entre músicos brasilienses da nova geração a troca de experiências e o compartilhamento de informações com instrumentistas de outras regiões do país. O guitarrista e violonista Pedro Martins, por exemplo, faz isso com frequência, indo ao encontro de companheiros de ofício, em seus locais de origem, ou recebendo-os aqui na capital.

Agora é a vez do bandolinista Ian Coury encontrar-se com Michael Pipoquinha, baixista cearense, radicado em São Paulo. Os dois são protagonistas do show Estamos aí, quinta e sexta-feira, às 21h, no Espaço Cultural do Choro. Eles têm como convidados o baterista Renato Galvão e o contrabaixista Bento Tibúrcio, de 11 anos — revelação da música instrumental na cidade. O evento tem participação do guitarrista Pedro Martins.

Para o show, Ian e Pipoquinha prepararam um repertório que abrange gêneros diversos da MPB, que vai de Samba do grande amor (Chico Buarque) a Um tom para Jobim (Sivuca), passando por Ponteio (Edu Lobo e José Carlos Capinam), Karatê (Egberto Gismonti), É (Gonzaguinha) e Ternura (K-Ximbinhoi). “Incluímos também músicas autorias, como Meu chegado, de Pipoquinha; e História de vida, um estudo que criei tendo como referência a série Caprichos, de Hamilton de Holanda”, adianta Ian.

Parceria

O jovem bandolinista, de 17 anos, conta que conheceu Pipoquinha, de 23, em São Paulo e já no primeiro encontro houve total identificação musical. “Aí, decidimos fazer algum trabalho juntos. Consegui datas na programação do Clube do Choro e agendei este show, o primeiro de outros projetos que pretendemos desenvolver em parceria”, comemora.

Com passagem pela Berklee, em Boston (Estados Unidos), Ian é ligado à música desde a infância. Matriculado na Escola de Música de Brasília, faz curso de prática de conjunto, tendo como professor o cavaquinista Léo Benon. “Lá, tenho a companhia do Cor Nascente, grupo do qual faço parte ao lado de Gabriel Henrique e Gabriel Oliveira”, diz.

Recentemente, Ian gravou com o baixista matogrossense Ebinho Cardoso um EP de quatro músicas, sendo três autorais e outra com a versão instrumental do clássico Palpite infeliz, de Noel Rosa. “Com o violonista Fernando César, na companhia de quem tenho feito muitos shows, em casas noturnas e outros locais, estou preparando um CD, mas por enquanto não posso adiantar maiores detalhes”, relata.

Pipoquinha está contente por retornar a Brasília, onde esteve em 2018 e se apresentou com Pedro Martins. “Com o Pedrinho venho trabalhando já há algum tempo. Participamos, há pouco, de um festival de jazz em Jeriquaquara, no litoral do Ceará, fizemos shows em outros lugares e em agosto faremos uma turnê pelos Estados Unidos”, relata. “Conheci o Ian em São Paulo, conversamos bastante, trocamos ideias e recebi o convite para tocar com ele nesse show no Clube do Choro. Estou na maior expectativa ao voltar a me apresentar em Brasília, cidade onde existem muitos músicos de qualidade”.



Ian Coury e Michael Pipoquinha

Show Estamos aí do bandolinista brasiliense e do baixista cearense hoje e amanhã, às 21h, no Espaço Cultural do Choro (Eixo Monumental, o lado do Centro de Convenções Ulysses Guimarães. Ingressos: R$ 40 e R$ 20 (meia para estudantes). Não recomendado para menores de 14 anos. Informações: 3224-0599. 

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade