Publicidade

Correio Braziliense

Secretário de Cultura afirma que Espaço Renato Russo não será fechado

Rumores sobre o fechamento surgiram na noite desta quarta-feira


postado em 16/05/2019 14:37 / atualizado em 16/05/2019 14:44

Após cinco anos, o espaço foi reinaugurado em 2018(foto: Ana Rayssa/Esp. CB/D.A Press)
Após cinco anos, o espaço foi reinaugurado em 2018 (foto: Ana Rayssa/Esp. CB/D.A Press)
 
Rumores sobre um possível fechamento do Espaço Cultural Renato Russo, na 508 Sul, reaberto no ano passado, surgiram na internet entre quarta-feira (15/5) e quinta-feira (16/5) assustando a classe artística e a população do Distrito Federal. Durante coletiva de imprensa para apresentar os diagnósticos sobre os espaços culturais do DF, realizada na manhã de quinta, o secretário de Estado de Cultura e Economia Criativa do DF, Adão Cândido, afirmou que a notícia não passa de um boato e que não há lógica para a secretaria fechar o espaço.

"Todo nosso esforço é para reabrir os equipamentos (culturais do DF). Todo esse trabalho que temos feito é exatamente atacar a questão de equipamentos fechados, como o MAB (Museu de Arte de Brasília), que estava com a obra parada, e o grande exemplo desse descaso é o Teatro Nacional. Então, não tem o menor fundamento (fechar o Espaço Renato Russo)", disse o secretário.

Reinagurado em junho de 2018, o Espaço Cultural Renato Russo ficou fechado por cinco anos. O espaço é um marco na história de Brasília desde a década de 1970, com papel importante na formação cultural da cidade. Por lá passaram diversos artistas célebres da cena brasiliense, como o saudoso Ary Pára-Raios, local onde ele fundou o grupo de teatro de rua Esquadrão da Vida. O espaço era, e permanece sendo, um ambiente que fomenta a produção de artes cênicas, cinema, literatura, música, artes plásticas, da capital federal.

O rumor surgiu em meio a uma crise na cultura do DF, quando a Secretaria de Cultura e Economia Criativa do DF anunciou o cancelamento do edital FAC Áreas Culturais, de 2018, no valor de R$ 25 milhões, para que a verba seja transferida para um novo edital do FAC, voltado para patrimônio. No caso, para a reabertura da Sala Martins Pena, do Teatro Nacional, que está fechado desde 2014. 

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade