Publicidade

Correio Braziliense

Grupo Tempo Bom toca neste sábado no Clube do Choro

Segundo Reco, é importante abrir o palco do Clube do Choro para os artistas brasilienses, que têm poucos espaços para mostrar o trabalho que desenvolvem


postado em 18/05/2019 06:10

Tempo Bom fará show com canções de Jacob do Bandolim e outros mestres(foto: Edna Melo/Divulgação)
Tempo Bom fará show com canções de Jacob do Bandolim e outros mestres (foto: Edna Melo/Divulgação)

Os músicos da cidade encontram espaço cativo na programação do Clube do Choro. Se antes as apresentações de instrumentistas, cantores e grupos e bandas ocorriam apenas aos sábados, há dois anos eles passaram a ocupar o palco do Espaço Cultural do Choro também às terças e quartas-feiras, no horário nobre das 21h.

Sábado, quem faz show ali é o Tempo Bom, grupo formado por pessoas de diferentes faixas etárias que exercem profissões variadas, unidas pela amizade e pelo prazer de se reunir semanalmente em rodas de samba e choro. Criado há três anos, o conjunto tem se apresentado em casas noturnas e em outros locais da capital.

“Essa é a quarta vez que vamos ocupar o palco do Espaço Cultural do Choro. Neste show, intitulado Choro de todos os tempos, tocaremos clássicos da obra de mestres do gênero, como Pixinguinha, Jacob do Bandolim, Paulinho da Viola, Avena de Castro — primeiro presidente do Clube do Choro — Jonas Silva; e também composições de Dinaldo Domingues, violonista do nosso grupo, com discos lançados”, destaca Eleuni Melo, psicólogo, professor universitário e consultor organizacional, que toca pandeiro no Tempo Bom.

O pandeirista tem como companheiros de grupo André Vilela (cavaquinho), administrador de empresa, que estudou na Escola Brasileira de Choro Raphael Rabello; Dimas de Paiva Gadelha (acordeon), médico, ex-aluno da Escola de Música de Brasília; Nivaldo Sousa (flauta), que cursou licenciatura e música na Universidade de Brasília e é o primeiro flautista da Orquestra Sinfônica o Teatro Nacional; Sebastião Cunha (violão 6 cordas), que se apresenta na noite e integra orquestra de baile; Thiago Saboia (violão 7 cordas), advogado e corregedor na CONAB; Gladstone Gomes (pandeiro), corretor de imóveis e analista de sistemas.

Reco do Bandolim, presidente do Clube do Choro, se entusiasma ao falar da presença de músicos brasilienses na programação regular da instituição. “Quando criamos a Escola Brasileira de Choro Raphael Rabello, o nosso objetivo primordial era formar novos instrumentistas. Ao longo de 20 anos, temos obtido êxito com essa iniciativa. Pelo palco do Espaço Cultural do Choro têm passado vários músicos que foram alunos da escola. Há até entre os que saíram daqui que hoje brilham no Brasil e no exterior”.

Segundo Reco, é importante abrir o palco do Clube do Choro para os artistas brasilienses, que têm poucos espaços para mostrar o trabalho que desenvolvem. “Buscamos democratizar nossa programação para que, além dos instrumentistas, os cantores, grupos e bandas também tenham vez. Nos próximos dias vamos ter aqui shows de jazz, jam session e até um musical. E assim vamos em frente: mantendo nossa instituição em pleno funcionamento”, destaca.

Tempo Bom
Show do grupo de MPB sábado (18/5), às 21h, no Espaço Cultural do Choro (Eixo Monumental, ao lado do Centro de Convenções Ulysses Guimarães). Ingressos: R$ 40 e R$ 20 (meia para estudantes). Não recomendado para menores de 14 anos. Informações: 3224-0599.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade