Publicidade

Correio Braziliense

Funqquestra faz show no Clube do Choro

Coletivo de 30 instrumentistas, grupo faz mistura de funk, jazz, pop e MPB


postado em 23/05/2019 06:30 / atualizado em 22/05/2019 17:59

Coletivo de 30 músicos se reveza a cada apresentação da Funqquestra(foto: Mavi Dutra/Divulgacao)
Coletivo de 30 músicos se reveza a cada apresentação da Funqquestra (foto: Mavi Dutra/Divulgacao)
Ao ser formada em 2012, a Funqquestra, integrada por oito músicos, tinha como objetivo promover a mistura de funk, jazz, pop e MPB. Passados sete anos, a proposta se mantém, mas o grupo transformou-se num coletivo de 30 instrumentistas que se revezam a cada apresentação. O único fixo em cena é o criador do projeto, Bruno Gafanhoto, baterista com mestrado em jazz performance pela University of Loiusville, de Kentucky (EUA).

Desde que surgiu, a Funqquestra tem tocado nos mais diversos palcos de Brasília, se apresentado no Rio de Janeiro, em São Paulo, Belo Horizonte e Goiânia; fez turnê pelos Estados Unidos e, por último, participou da Feira Internacional do Livro, em Bogotá, na Colômbia. A banda também criou o Baile Desbocado, que está na 15ª edição.

Influenciada pelo cantor havaiano Bruno Mars, pela banda americana Snarky Puppy e pelo grupo carioca Black Rio, a Funqquestra tem três discos lançados e mais de 300 mil streamings no Spotify, YouTube e Facebook. Hoje, às 21h, o grupo leva a fusão rítmica explosiva ao Espaço Cultural do Choro – onde já esteve outras vezes.

O show tem um novo formato, com o palco montado em 360º, no meio da plateia. Desta vez, Gafanhoto tem em sua companhia Ismael Rattis (bateria), Lucas Fernandes (baixo), Danilo Cremonez (guitarra), Gregoree Junior (teclado), Isadora Pina (sax alto), Livio Almeida (sax soprano) e Samuel Daniel (sax tenor).



Funqquestra
Show do grupo hoje e amanhã, no Espaço Cultural do Choro (Eixo Monumental, ao lado do Centro de Convenções Ulysses Guimarães). Ingresso: R$ 40 e R$ 20 (meia para estudantes). Não recomendado para menores de 14 anos. Informações: 3224-0599.




Na estrada
Banda em ascensão na cena musical brasileira, a Funqquestra possui números expressivos: 75 mil visualizações no YouTube, 200 mil no Facebook e 75 mil listens no Spotify. Nos últimos dois anos tocou para 25 mil pessoas. O primeiro CD lançado em 2015 recebeu boa acolhida do público e da crítica. Venturo, o segundo álbum, possibilitou voos mais altos ao grupo. Entre os eventos dos quais participou nos últimos dois anos estão: Música Mundo (Belo Horizonte), Goyaz Festival (Goiânia), Shell Open Air (Rio de Janeiro), Feira do Livro de Bogotá (Colômbia), além da turnê por Kentucky, West Virginia e Ohio (Estados Unidos).


Três perguntas/Bruno Gafanhoto

Que novidades a Funqquestra preparou para este show?
A principal é o formato do show, que vamos apresentar em meio à plateia, num palco montado em 360º, tocando lado a lado com o público. Vamos fazer um set só com músicas inéditas, como Bom dia, Ouro puro e Pedro e os animais; e outro com os nossos temas mais populares, entre os quais O canguru, Três da tarde e Venturo.

As novas músicas farão parte do set list do quarto álbum?
Pode ser que sim, mas antes elas serão lançadas em singles e depois reunidas em um EP. No show vamos testá-las junto ao público.

Além de compor essas músicas, o que fizeram ultimamente?
Havíamos lançado um EP que trouxe músicas como Cajuína e Baile Desbocado, nome também de um projeto que criamos e que já teve 15 edições.  A convite da Embaixada do Brasil na Colômbia, estivemos recentemente naquele país, e fizemos show na Feira Internacional do Livro de Bogotá. Recebemos ótima acolhida dos participantes, que curtiram muito nosso som.
 

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade