Publicidade

Correio Braziliense

Ator Milton Gonçalves processa Paulo Betti por racismo

O ator de 'Órfãos da terra' está sendo acusado por conta de uma mensagem publicada no WhatsApp em abril


postado em 18/06/2019 10:48 / atualizado em 18/06/2019 10:48

Paulo Betti faz oposição a Milton Gonçalves na disputa pela presidência do SATED(foto: Luis Nova/Esp. CB/D.A Press - Globo/João Cotta)
Paulo Betti faz oposição a Milton Gonçalves na disputa pela presidência do SATED (foto: Luis Nova/Esp. CB/D.A Press - Globo/João Cotta)

Os atores Milton Gonçalves e Jorge Coutinho processam o também ator Paulo Betti por racismo, revelou o jornal Folha de S. Paulo nesta segunda-feira (17/6). O crime teria ocorrido em um grupo de WhatsApp.

Betti é integrante da chapa que concorre contra Gonçalves e Coutinho pela presidência do Sindicato dos Artistas e Técnicos em Espetáculo de Diversões do Estado do Rio de Janeiro (SATED). Em 16 de abril de 2019, Paulo Betti publicou a seguinte mensagem: "a atual diretoria do sindicato está lá há muito tempo e tem uma forte representação negra com Jorge Coutinho e o grande Milton Gonçalves, além do querido Cosme, isso complica bastante a luta, pois pode confundir as coisas". 

(foto: Reprodução/WhatsApp)
(foto: Reprodução/WhatsApp)

Segundo a ação, as falas do ator resultam em uma interpretação imprópria e infeliz, fazendo distinção entre negros e brancos e são "insinuações evidentemente maledicentes".

Betti tem 15 dias para apresentar sua defesa, contados a partir do último dia 13, como determinado pelo juiz Daniel Werneck Cotta. A defesa dos atores Milton Gonçalves e Jorge Coutinho se apoia no artigo 144 do Código Penal, e caso Paulo Betti se recuse a dar explicações em juízo ou o juiz julgar que as explicações não foram satisfatórias, o ator de Órfãos da terra deverá responder pela ofensa. Caso seja condenado, a pena é de um a três anos de prisão, além de multa.

O ator disse à Folha que a ação é fruto de um vazamento e está fora do contexto da disputa pelo SATED e, ao portal de notícias UOL, Betti afirmou não ser racista. "É uma acusação muito grave. Eu não sou racista. Pelo menos até onde eu saiba, a minha história não diz isso, eu nunca me considerei".

Milton Gonçalves disse ao jornal que não participa do grupo onde Betti publicou a mensagem, mas alegou que ela está, sim, dentro do contexto. "Interpelação é uma coisa muito vaga, mas que tem uma gravidade para mim, e vou responder judicialmente. A mensagem está dentro do contexto da disputa sindical e foi enviada há quatro meses".

As eleições para a presidência do SATED será em 29 e 30 de junho e 1º de julho. A chapa 1 conta com Milton Gonçalves, Hugo Gross, Ruth de Souza e Carlos Vereza. Já a chapa 2, conta com, além de Betti, Tonico Pereira, Cristina Pereira, Zezé Polessa e Júlia Lemmertz.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade