Publicidade

Correio Braziliense

Veia cômica do rock desponta, com a banda Marília Gabriela

A banda Marília Gabriela deposita as fichas no potencial das novas músicas para fazer um sucesso cada vez mais perceptível


postado em 25/06/2019 06:47 / atualizado em 24/06/2019 19:27

A banda Marília Gabriela busca crédito para o rock, por meio do humor(foto: Arquivo pessoal/ Divulgação)
A banda Marília Gabriela busca crédito para o rock, por meio do humor (foto: Arquivo pessoal/ Divulgação)

 

A veia cômica do rock permanece viva na música brasileira. o rock cômico mistura o som do rock´n´roll com a comédia e a sátira, seja nas composições ou na forma de conduzir instrumentalmente uma música. Começou com os covers e paródias de canções famosas, mudando as letras e/ou arranjos originais, e evoluiu para novas gravações autorais, com bandas especializadas nesse estilo. 

 

No Brasil, o maior destaque surgiu na década de 1990 com os Mamonas Assassinas. A banda, que originalmente se chamava Utopia, passou por um processo complicado até conseguir se firmar. Mesmo com um sucesso repentino e que durou menos de dois anos no período entre 1994 e 1996, um legado foi criado. Músicas como Vira-vira e Pelados em Santos fazem sucesso até os dias atuais. 

 

Eles foram responsáveis por abrir caminho para o surgimento de novas bandas cômicas de destaque no país. Nem todas conseguem se firmar e ter continuidade, mas algumas atingiram um alto patamar, como a banda Massacration — criada em 2002 e que ainda está na ativa.

 

Outras bandas famosas como Ultraje a Rigor e Blitz também possuem músicas nesta vertente. Em Brasília, o Satanique Samba Trio traz toda veia cômica na parte instrumental. Apesar do nome, o quinteto trabalha misturando o rock, a bossa nova, o samba e o jazz. As dissonâncias e distorções rítmicas apresentam a vertente engraçada dentro dos estilos. 

 

E novas inspirações estão surgindo pelo Brasil, como é o caso da banda Marília Gabriela.“Hoje tudo é consumido muito rápido e não dá para traçar paralelo com outras gerações. A forma de consumir música mudou. Eu não diria que a gente apostou nesse estilo. Acho que foi um processo natural. Sempre me interessei e me interesso pelo humor na música”, conta o vocalista Paulão. 

 

Com inspirações em situações reais, as músicas do grupo abordam o humor como contrapeso de temas que são discutidos atualmente, como em Minha vida tá fumando um e Wando Adão. “Falamos sobre tolerância, bissexualidade, poliamor, aceitação… Tudo dentro do atual contexto de transformação cultural que vivemos, de forma leve, simples e direta.”

 

A banda Os Seminovos, que surgiu de uma brincadeira online e despontou no programa do Faustão com a música Escolha já seu nerd, segue uma linha do rock dos anos 1960 e 1970 com baladas e canções que não fogem do atual. A produção do grupo é feita exclusivamente para internet e realizam shows por todo o país com letras bem-humoradas. 

 

*Estagiário sob a supervisão de Severino Francisco  

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade