Publicidade

Correio Braziliense

Cantora Rosa Passos lamenta morte de João Gilberto


postado em 06/07/2019 18:48 / atualizado em 06/07/2019 18:58

(foto: AFP)
(foto: AFP)
Rosa Passos tinha 11 anos quando ouvi João Gilberto pela primeira vez, num compacto duplo que trazia as músicas Nosso amor e A felicidade. Adolescente, aprendeu a tocar violão, influenciada pela batida de violão do cantor.

Ela já havia iniciado a carreira musical quando em 1983, foi recebida pelo ídolo no apartamento 2906 do Rio Flat, no Leblon (Rio de Janeiro). "Eu havia enviado uma carta para ele, que foi entregue por Edinha Diniz, uma amiga em comum que morava no mesmo flat. Hospedada no apartamento de Edinha, não me contive quando o telefone tocou e Joãozinho disse que estava me aguardando", conta.

"Era 2 da manhã e fiquei até às 10 da manhã com ele, conversando, tocando violão e cantando. Fizemos duo em Isaura, pelo menos umas 10 vezes. Ele me apresentou Curare e Da cor do pecado, composições de Bororó, que eu não conhecia. Tempos depois, quando gravei meu primeiro CD dei o título de Curare", lembra.

Outra passagem que Rosa recorda-se é a referente a uma ligação que recebeu de João, em sua casa, no Lago Sul. "Ele ficou sabendo que eu iria fazer um show de voz e violão no Carnegie Hall, em Nova York, no dia 8 de fevereiro de 2006. Joãozinho me desejou felicidade e me parabenizou antecipadamente. Antes, em 2004, eu gravei o álbum Amorosa, dedicado a ele", conta.

Ver galeria . 7 Fotos AFP / Marco HERMES
(foto: AFP / Marco HERMES )

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade